segunda-feira, novembro 20, 2006

Mulheres da minha Vida...

(Balanço final)


Imagem de BGallery


Mulheres da minha vida, não queirais
Que eu diga, nesta hora, por favor,
Qual foi a que de vós eu gostei mais,
À qual me consagrei com mais ardor

Sendo a mulher flor tão delicada,
Como escolher entre uma e outra flor?
Se colho a rosa por ser tão perfumada
desmereço ao cravo e ao nardo o seu valor?

E a violeta, o jasmim e a açucena
Ignorá-las quem não teria pena?...
Por isso todas guardo em meu canteiro

Não me pergunteis, pois, qual mais amei
Nenhuma de vós jamais eu olvidei
E amo ainda todas, por inteiro


(Poema de
António Melenas in Escritos Outonais)


Ouvir o poema na voz do Luís Gaspar
(Desligar p.f. a música de fundo para ouvir o poema)

21 comentários:

Paula Raposo disse...

Já tinha lido no seu blog este poema lindíssimo do António!! Gostei de o ver aqui, também. Beijos para ti.

@Memorex disse...

Olá Poesia portuguesa!

Li o teu comentário na "A Inspiração do Silêncio".

Já há muito não posto, é verdade o tempo tem-me tirando a disponibilidade por vezes sufocada.
E dentro do meu casulo, fervilham palavras saltidadas.

Tenho responsabilidades, neste caso a faculdade.

E sim, podes retirar de lá. :)

Beijo terno e afectuoso, carinhosamente Memorex.

António Melenas disse...

Mas é uma honra para mim - versajador ocasional - ver o meu poema incluido nesta riquíssima selecção de poesia (e que, ainda por cima, a Paula classifica de "lindíssimo)!
Não tenho palavras. Mas tenho um bejinho que aqui te deixo,
António

Anónimo disse...

Ironias do destino.
Este poema do António Melenas (António Gouveia para os amigos, família e Finanças) está programado para ser lido no "Lugar aos Outros" do Estúdio Raposa no próximo dia 23. O facto de surgir no teu palácio (o Poesia Portuguesa é um Palácio da Poesia)só faz (mais) justiça a este belo poema do António.
Luís Gaspar
Estúdio Raposa

tati disse...

Muito lindo o poema! Parabéns pela escolha!
Aliás, seu blog é muito bem cuidado: os postes, as figuras que os acompanham...enfim, adorei tudo!!!
Bem, posso te add aos meus links???

Uma semana maravilhosa p/vc!
;***

Anónimo disse...

Simplesmente, genial!
Parabéns...
beijos ternos e doces

Anónimo disse...

Simplesmente, genial!
Parabéns...
beijos ternos e doces

Ana Sobral disse...

Um hino ao amor e à mulher. Muito bom. Parabens a ambos, poeta e Poesia.
A imagem é simplesmente espectacular!!!
Jinhosssss da Ana

rouxinol de Bernardim disse...

Uma flor de verde piño com sabor a maresia! Que doçura!!!

TMara disse...

belo e sensível soneto.
Bjs.
Luz e paz

Maria disse...

A capacidade infinita de amar...
às vezes várias pessoasao mesmo tempo, cada uma de sua maneira...
Belo poema
Tem uma boa tarde

Francisco Mendes disse...

Belíssimo.

Boa tarde. Também gostei de ler... ;)

Passeando no Parque disse...

Excelente!! E a poesia está muito bem dita! Imagem muito apropriada
Beijão pra vc

Luísa Mota disse...

Belíssimo espaço dedicado à poesia. Um encanto e alimento para a alma. Bem hajas!

1 Bj*
Luísa

pintoribeiro disse...

Bom dia e um abraço.

Morgaine disse...

em suma.. um amor incondicional pelas mulheres em geral.. ou melhor, maravilhado pelo feminino..
beijos

aaron@iol.pt disse...

Uma bela escolha, como já é habitual aqui, onde impera o bom gosto e boa poesia. Gostei especialmente deste poema, pois é assim mesmo; as mulheres da nossa vida, nunca as esquecemos!!
Beijinhos do aaron

Luís disse...

;-)

Joe Nunes disse...

Vim actualizar a minha leitura e deparo-me com a história da minha vida; acho que em todos nós, homens, existe um pouco deste poema dentro de nós; guardamos mesmo que digamos que não, os amores que preencheram os nossos momentos. Uma escolha muito sensivel para emoldurar este poema: a imagem! Torna este poema ainda mais especial.
Cpmtos do J. N.

Joe Nunes disse...

voltei; acabei de ouvir o poema. E dou os parabéns a todos: ao poeta, ao declamador e a ti menina porque tornaste este local muito especial.
Cpmtos do J.N.

DE PROPOSITO disse...

Um bonito poema. E com um tema maravilhoso (a mulher comparada a uma flor).
Fica bem.
Manuel