quinta-feira, novembro 02, 2006

Vieste...


Imagem de autor desconhecido


E tu vieste assim…
Devagar, lentamente, como uma folha
Que cai devagar, com medo de tocar o chão!
Assim me despertaste, como a aragem da manhã,
E me envolveste nos teus braços
E tu vieste assim,
Como quem quer sentir somente o calor
De chegar a casa e descansar
Nos braços de alguém!

E tu vieste assim,
Como quem
Quer um lar
Para o coração!

E ficaste, em mim!

(Poema de Delfim Peixoto)

Ouvir o poema na voz do Luís Gaspar
(Desligar p.f. a música de fundo para ouvir o poema)

18 comentários:

  1. Fico assim sinceramente comovido e ao mesmo tempo humildemente grato por ter sido merecedor da escolha! Um beijo terno de gratidão!

    ResponderEliminar
  2. Muito lindo!! A imagem corta a respiração!! Bjssss

    ResponderEliminar
  3. Um belo poema que tem como pano de fundo a relação humana. Toda a frescura da imagem, a suavidade e a ternura envolve o nosso interior e tal como Delfim Peixoto, abraça simultaneamente a nossa alma e enche de alegria o nosso coração.

    Ter companhia é sempre uma virtude
    que nos ampara e nos acompanha
    protege, defende e segura
    com a pureza da sua atitude.

    Esperar ser bem acolhido
    cabe a todo o coração nobre
    que sacia continuamente a fome
    para um belo dia ser compreendido.

    Felicito-a pela excelente escolha e mais que a beleza das palavras o mais importante é a gratidão e carinho que devotas no blogue.

    Um abraço de amizade.

    ResponderEliminar
  4. Suave, suave e muito agradável este "Vieste..".
    Parabéns ao seu autor e boa semana a todos!!

    ResponderEliminar
  5. Muito bonito, este poema! Suave, suave... um amor sereno. **

    ResponderEliminar
  6. Desculpem, mas o endereço esta , mal indicado, pelo que vos deixo, tal como a Menina Marota, as minhas desculpas, pois o blogger é mauzinho, às vezes!
    Cá vai:http://sabormar.blogspot.com/


    e

    http://sitio-palavras.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  7. Uma musica fantástica, que faz deste momento realmente um momento de Poesia!!!
    Poema e imagem conjugam na perfeição. boa escolha!!
    Beijocassss da Anita

    ResponderEliminar
  8. ... eu sou fã dos escritos do Delfim...

    bom fim de semana
    beijos

    ResponderEliminar
  9. Lindo poema!! Beijos, bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  10. Faço a ronda, não por imperativos menos concebíveis, mas porque este blogue é duma estética irrepreensível, comprometido com a beleza da vida, a merecer mais e constantes visitas, porque aqui respira-se serenidade, e sinto-me, dum modo agradável, satisfeito, porque a excelência não tem preço, simplesmente, apreço. Bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
  11. Meus caros,
    Foi difícil estar sem vcs, foi difícil conseguir reaparecer, mas ... estou feliz. Vou fazer visitas, vou inteirar-me de tudo o que se passa...
    Quero voltar!
    Ricky cheio de contentamento!

    ResponderEliminar
  12. Muito bem homenageado o Peixoto.
    Beijinhos***

    ResponderEliminar
  13. Muito lindo e terno este poema do Delfim de quem, infelizmente, perdi o rasto. Obrigado, Poesia,pela partilha. Um bjo aos dois e uma flor

    ResponderEliminar
  14. Que bonito. O Delfim tem textos belíssimos.

    Beijinhos e boa semana.

    ResponderEliminar
  15. a imagem esta linda e o poema encantador, perco-me neste blog no bom sentido claro. bjs

    ResponderEliminar
  16. O poema tem musica e um conteúdo substancioso, mas eu prefero imagens mais contemporaneas para descrever as almas que o homem sempre teve. Mesmo assim, é um bom poema.

    ResponderEliminar

Caros visitantes e comentadores:

Obrigada pela visita... é importante para cada um dos autores da poesia constante deste blogue que possas levar um pouco deles e deixar um pouco de ti… e nada melhor que as tuas palavras para que eles possam reflectir no significado que as suas palavras deixaram em ti.

E porque esta é uma página que se pretende que seja de Ti para TODOS e vice-versa, não serão permitidos comentários insidiosos ou pouco respeitadores daquilo que aqui se escreve.

Cada um tem direito ao respeito e à dignidade que as suas palavras merecem. Goste-se ou não se goste, o autor tem direito ao respeito da partilha que oferece.

Todos os comentários usurpadores da dignidade dos seus autores são de imediato apagados.

Não são permitidos comentários anónimos.
Cumprimentos,