sexta-feira, dezembro 01, 2006

Do Litoral...


Imagem de Ângela Maria Crespo


Falo do vento
porque o mar ondula
na larga emoção dos teus cabelos.
Falo do mar
porque um barco ainda navega
na verde distância dos teus olhos.
Falo de ti
porque a memória do tempo
se recusa a ser apenas de palavras.
E se palavras digo é porque sei
que outras flores não tenho para calar
o silêncio agrilhoado dos meus versos.


(Poema de Carla in O que de mim sei )

17 comentários:

Jofre Alves disse...

Passei para ver o blogue, apreciar os artigos, admirar a essência poética, as ilustrações e imagens magníficas, e o resultado é agradável, como sempre. Óptimo fim-de-semana.

Carla disse...

Muito Obrigada e peço desculpa por nao ter respondido ao email da selecçao mas estive um pouco ausente da net...a imagem esta linda!
Bj

pintoribeiro disse...

Fale-se. Tente-se, pelo menos. Bom dia, abraço,

rouxinol de Bernardim disse...

Muito bem! O litoral é lindo, mas a interioridade feminina é sublime!

Charlie disse...

Magnifico blogue.
Tenho uma relação profunda com o mar...algo que me vem desde a mais tenra idade e este poema enche-me a alma de sabor e sal.
E também de silêncio, porque a memória do tempo se recusa a ser apenas de palavras.
Uma lágrima é também uma gota do mar que levamos dentro.

Charlie disse...

Magnifico blogue.
Tenho uma relação profunda com o mar...algo que me vem desde a mais tenra idade e este poema enche-me a alma de sabor e sal.
E também de silêncio, porque a memória do tempo se recusa a ser apenas de palavras.
Uma lágrima é também uma gota do mar que levamos dentro.

contradicoes disse...

Falo do vento
que sinto aqui dentro
do mar porque o contemplo
pois palavras levas o vento

Teresa David disse...

Gostei bastante do poema.
Bjs
TD

lena disse...

como é agradável passar por aqui e ler tudo quanto partilhas,
escolhas sempre com um requinte poético e perfeito

uma boa fonte de saciar a sede ...

leio entre silêncios e sinto de cada emoção, na sensibilidade que por aqui deixas transmitir

obrigada pelo teu bom gosto, obrigada por este cantinho tão belo em palavras, obrigada por existires

o meu abraço envolvido em ternura e beijinhos muitos, hoje com um cheiro a maresia, senti o mar passar por aqui

lena

Anónimo disse...

Finalmente minha amiga... consegui aceder a este Blog.

Como sempre, a melódica e suave música que nos ofereces está para as palavras que escreves... como o "Vento está para o mar ondulado"

E o Mar que está dentro de mim !!!

É sempre com a Cumplicidade entre duas coisas ou pessoas que os sonhos se realizam...

Gostei imenso. Muito grato por este momento. Um resto de Domingo muito feliz.

Passarei a estar mais atento.

Do amigo "montanheiro"

delfim peixoto disse...

Lindo o poema e a música...

( desculpem... mas o blogger "obrigou-me" a "fugir" outra vez - http://ondassalgadas.blogspot.com/

http://maresia1.blogspot.com/)

Cada vez mais acho que A POesia Portuguesa, tem em ti a sua fada madrinha!
bjs

olga disse...

Adorei o poema! Mesmo não tendo o ondular do mar nos meus cabelos; mesmo não tendo o verde nos meus olhos, adorei! :)

Boa semana!*.*

Anónimo disse...

É sempre muito agradável percorrer e apreciar o teu blog.
Pena é que não o visito tanto como deveria.
Um dia destes temos que voltar a falar. Que dizes? Marca-se qualquer coisa, se te der jeito.

Beijinhos

Paula Raposo disse...

Este poema é lindíssimo! Gosto muito. Beijos.

Lumife disse...

Aproveitei esta folga para visitar todos os sítios onde me encontro bem.

Vou tentar ler tudo quanto tenho perdido...

Beijos

aaron@iol.pt disse...

Eu estou ali como o Lumife! Aproveito as folgas para te visitar!! E aqui estou a deliciar-me com mais uma partilha maravilhosa!
Belo poema e imagem a condizer.
Beijocas às duas do aaron

Joaquim Sobral Gil disse...

O mar, sempre o mar
que flui em nós;
que nos chama
em ondas
de vai-vem.
Balouço que nos leva,
que nos traz,
e que será
(quam sabe?)
dos últimos chamamentos...


PS - aqui fica, também, o convite para dares uma espreitadela em
www.soprodivino.blogspot.com