quarta-feira, janeiro 17, 2007

o sol. os sóis.


Óleo de Camille Pissarro


há sóis que não desaparecem da nossa vida
pobre no olhar para ver
e há o sol que baixa suavemente, incendiando
tudo, ao entardecer
diariamente
como uma mão quente que nos traz uma réstia de cor
antes de adormecer


os outros, sóis interiores de afortunadas gentes
não serão menos sóis
são só diferentes no efeito que têm sobre nós.
são os dos santos dos poetas e dos simples
os que encontraram os talentos que perdemos
e os fizeram render.

nós passamos por eles, distraídos. nesta condição
de existir com muito pouco ser
e colhemos os frutos. e comemos
e nem olhamos os sóis que não descansam
e luzem dia ou noite. quais faróis.
para não nos perdermos ao viver.

(Poema de Non(Madalena Pestana) in Vida Morte & cª)

19 comentários:

  1. Excelente escolha este «Sol e Sóis». A Madalena retrata bem os Sóis que circulam e circundam pelas horas do dia. E como ela sei que andamos tão apressados e distraídos que nem percebemos os brilhos de sóis encostados pelas esquinas, nas crianças que por natureza irradiam calor suficiente para nos acalentar o olhar,na idosa à janela sorridente ou triste mostrando radiação de aura solar, nos livros cheios de cenários de sóis pelo calor, pela emoção, nos namoros sempre amplos de luz solar. Gostei bastante deste texto. Abraços

    ResponderEliminar
  2. Obrigada MM.

    E mais não digo por me sentir um pouco deslocada entre Poetas considerados e publicados. Só brinco aos poetas desde infância...

    Obrigada também "in loko".

    :)

    Bjs e bom dia cheio de sóis.

    ResponderEliminar
  3. maravilhoso este poema. a madalena merece este post. e eu agradeço *

    ResponderEliminar
  4. Qualquer sol é Sol, ao menos para mim.
    Ninguém, isto é, nenhum seu humano, possui a Verdade Toda, por isso acho que há (ou pode haver)muitos sois, como muitas crenças, como muitos amores e cores e preferências...
    AMEI este Poema de Madalena Pestana, que eu não conhecia.
    Como sempre estás de Parabéns, tu neste caso a Autora escolhida, bem como a música e a imagem, que demonstram sempre o teu bom gosto.

    Um beijo enorme da

    Maria Mamede

    ResponderEliminar
  5. E ao chegar aqui hoje pela primeira vez encontro reunidos sóis poemas e sóis pinturas em um verdadeiro elogio à beleza. Quero voltar muitas vezes.

    ResponderEliminar
  6. "Há sois que não desaparecem da nossa vida... São só diferentes no efeito que têm sobre nós...".

    E tu... és para para quem te lê (pelo menos para mim...) um Sol diferente, um Sol que nos ilumina com estes lindos poemas. Aliás... tu és uma Estrela !!! Parabéns ao autor.

    Para ti Otilia, um beijo do amigo "Montanheiro"

    ResponderEliminar
  7. Esqueci-me de enaltecer o magnifico óleo de Camille Pissarro. Lindissimo......

    Pelo óleo, pela música, por tudo isto... o meus parabéns e continua a dar-nos estes prazeres.

    Do amigo "Montanheiro"

    ResponderEliminar
  8. "...nós passamos por eles, distraídos. nesta condição
    de existir com muito pouco ser..."

    Cada SOL com cada brilho...
    Cada brilho é cada um de nós...
    Com cada palavra..
    Com cada gesto...
    Com cada sentimento...
    Com cada emoção...

    Cada um nós trás desde que nasceu algo de especial.. algo para dar ao "Mundo" algo de belo, algo de novo.. por isso somos tão diferentes... Mas no fundo tão iguais... com brilho... com maior ou menor intencidade!
    Cada ser trás dentro de si uma missão..
    Cabe a cada um de nós saber estar atento a si, aos outros... ao MUNDO!

    Beijo...
    Adorei!

    ResponderEliminar
  9. Dei-me prazer a leitura do poema e ver um quadro do Pissaro, pai de todos os impressionistas!
    Bjs
    TD

    ResponderEliminar
  10. Bom gosto casado com a classe, tout court!!!

    ResponderEliminar
  11. Lindíssimo poema! Lindíssimo óleo! Bom fim de semana, beijos.

    ResponderEliminar
  12. doce menina, doce poesia

    um óleo perfeito para tão excelente poema!

    sempre uma grande conjugação entre as palavras e imagem


    mais um cantinho que fui descobrir, encantou-me e embalei-me na musicalidade da poesia que li

    senti um calor especial que nesta manhã me acariciou a alma

    este poema é belo!

    “o sol abre-me o dia
    junto à sombra dos sentires”

    parabéns às duas

    um abraço a ti carregado de carinho e à poeta que tão bem sabe descrever os sentires


    beijinhos

    lena

    ResponderEliminar
  13. Lindos sóis... com os que se ouvem... há sóis que são assim, sim!
    Lindo
    jnhs meus

    ResponderEliminar
  14. Todos nós temos um Sol dentro de nós!... Mas deixamos algumas vezes que a sombra o oculte!...


    Um beijo para ti!

    ResponderEliminar
  15. Em tempo de silêncios... vou passando.





    Deixo um beijo.

    ResponderEliminar
  16. É na pesquisa e na procura do nada que se encontra quase tudo... Por vezes surpreendemo-nos com os nadas que existem para além do tudo que se encontra!

    Beijos e também Abraços

    ResponderEliminar
  17. É em sóis que nos desnudamos,
    na busca do calor
    que nos veste de desconhecido.
    É em sóis que procuramos
    verdes folhas
    que nos consolam
    em pálidos arbustos...
    Um mar iluminado
    pelo triângulo solar,
    engole-nos,
    lenta,
    suavemente.
    Termina,pois,
    a nossa busca...


    PS - Um feliz 2007 para ti também (peço desculpa pelo atraso)

    ResponderEliminar
  18. Olá .
    O conjunto harmonioso, poemas, estampas e a música deixam-me embevecidos e sem saber o que dizer.
    Desejo-te felicidades.
    fica bem.
    Manuel

    ResponderEliminar
  19. martastar@bol.com.br25 setembro, 2008 16:05

    Por favor, gosto de ter material sobre o SOL, por isso peço copia dos poemas.
    Poderia me mandar. Agradeço imensamente.
    martastar@bol.com.br

    ResponderEliminar

Caros visitantes e comentadores:

Obrigada pela visita... é importante para cada um dos autores da poesia constante deste blogue que possas levar um pouco deles e deixar um pouco de ti… e nada melhor que as tuas palavras para que eles possam reflectir no significado que as suas palavras deixaram em ti.

E porque esta é uma página que se pretende que seja de Ti para TODOS e vice-versa, não serão permitidos comentários insidiosos ou pouco respeitadores daquilo que aqui se escreve.

Cada um tem direito ao respeito e à dignidade que as suas palavras merecem. Goste-se ou não se goste, o autor tem direito ao respeito da partilha que oferece.

Todos os comentários usurpadores da dignidade dos seus autores são de imediato apagados.

Não são permitidos comentários anónimos.
Cumprimentos,