quarta-feira, fevereiro 21, 2007

eu faço o ninho


Pintura de Jaoni


quando as palavras têm o peso de um passarinho
eu faço o ninho
num canto do teu sorriso
alongo o olhar pelos pêlos dos teus braços
que são só braços
a luzirem ao luar
deixo-me entreter devagar
na paródia de uma história
num desfiar da memória

é leve e brilha a pupila
cintila levita sem ciso que me prenda
é só renda a rendilhar
brincamos no faz de conta
tu és quem conta eu sou a tonta
até o dia clarear

depois
jogamos palavras com emoção mais pesadas
espreitando nelas as margens do voo a saber voar

assim vamos
construindo coisas simples sem destino
imos novos novos rimos
sabemos nada assim vimos
sozinhos somos num par

(Poema de MJM in Silepse)

18 comentários:

Anónimo disse...

Poesia com "ismos" muito´"íssimos"...

Bem bom!

MJM disse...

É engraçado q tivesses eleito esse, 'levezinho' - o das palavras sem peso bastante para deixar marca...; o das palavras q se atiram, inconsequentes, como inconsequentes parecem ser certas interacções q se servem de palavras; o das palavras q ilustram apenas o seu peso basilar...

Os versos estão encadeados dentro do próprio verso - como os diálogos q se sobrepõem nas conversas quotidianas, q terão q ser imaginados 'colados' pelo paralelismo do discurso q é acabado pelo outro iterlocutor:

«assim vamos |
construindo | coisas simples | sem destino
imos novos | novos rimos
sabemos nada | assim vimos
sozinhos somos | num par»

A verdade é que «sozinhos somos» («num par»)...
;-)

Tks pelo spotlight, again
kisses

Anónimo disse...

Olá Menina

O autor do quadro é: Jaoni

(encontra-o em alguns sites de arte)

Um abraço e obrigada pela visita

maramar

Thiago Forrest Gump disse...

O tipo de texto que traz paz!

:)

Peter disse...

Belo início os três versos iniciais.

adesenhar disse...

"...assim vamos
construindo coisas simples sem destino"...

:-)

Jofre Alves disse...

A poesia como forma imensa de postura de sentimentos humanos, dos nossos melhores sentimentos, mesmo com «lágrimas ocultas», porque ser «poeta é escrever palavras com sentimento». Óptimo fim-de-semana.

Anónimo disse...

gostei muito da leveza do poema da da imagem escolhida para o ilustrar.a musica nem me deixa sair daqui fecho os olhos e fico a ouvir. beijosssss da sofia

Delfim Peixoto disse...

senti!
jnhs

ponto azul disse...

Eu vou fazer o ninho neste fim de semana...Bjs :-)

Paula Raposo disse...

Doce poema! Beijos.

Conceição Bernardino disse...

Poema que encanta com muita musicalidade.

PoesiaMGD disse...

Belíssima conjugação de poema e pintura!

Cris disse...

Como eu gostei deste poema!...

beijinho

Anónimo disse...

eu faço o ninho
num canto do teu sorriso


uma beleza pura!!!

adorei estar aqui!!!

sasha

António Silva disse...

Boa tarde desde já um olé sentido à Poesia que se faz por estas bandas do nosso cantinho à beira plantado. Relativamente à musicalidade, suavidade e comunicabilidade das palavras nada tenho a acrescentar.
Um abraço de amizade e coragem segue o teu fiel caminho.

Palavras são sempre de alguém
que as diz e contradiz
tal como um vulgar aprendiz
que espera pelo seu vintém.

Dialogamos e conversamos
porque tudo nos fascina
particularmente o poder da escrita
podendo alegremente cantarolarmos.

É um poder que usamos e abusamos
porque conquistamos uma ténue liberdade
ascendendo momentamente ao reino da felicidade
para assim podermos enfim descansarmos.

http://tematicapoesia.blogspot.com

Anónimo disse...

Desta vez começo pela imagem... é soberba !!!

Quanto ao poema, muito bem escrito... de uma sensibilidade envolvente.

Ao longo da n/ vida, vamos criando os n/ próprios ninhos (enfeitados com sonhos, amores e paixões...)

Os meus parabéns ao autor. Para ti, pela escolha... o melhor do mundo.

Do amigo VR

Heloisa B.P disse...

Mas que LINDO!!!!!
E, a Pintura:ESPECTACULAR!!!!!
MUSICA DE FUNDO, nem vale a pena comentar!
Parabens a ambos:Autor(a)e ***SENHORA DA MANSAO POETICA*****!!!!!
Beijinhos.
Heloisa B.P.
************