quinta-feira, maio 24, 2007

Ausência


Fotografia de Denis Olivier


Hoje, queria estar noutro lado,
na outra margem do sonho
sentado no muro da esperança
respirando só paixão
voltar à nascente da vida
fundir-me, de corpo e alma
fugir de mim e voar
hoje, precisamente num dia
que é mais estreito que o ar
E o estio a vir devagar
como se fosse um ladrão
deixando-me assim sem alento
Como se fosse um escombro
dobrando-me vontade a razão

(Poema de
Yardbird)

8 comentários:

Eu disse...

Parabéns pelo blog, e pela homenagem à boa poesia portuguesa!!

Anónimo disse...

meu passarinho querido, voas alto...
beijinhos da T

Carlos Seabra disse...

Bom blogue de poesias.

Entre linhas disse...

Em cada margem existe um sonho de esperança.
Bom fim de semana
Bjs Zita

carteiro disse...

Não fazia ideia das saudades causadas pelos selos.. :) Obrigado pela passagem lá.

Parabéns por este espaço. Bonito, arrumadinho nem é preciso falar das palavras que tem. (E bem ilustradas)

Boa continuação de fim-de-semana.

APIUR disse...

Olá,
Nesta visita deixo o meu olá amigo. Este canto, continua a ser um espaço de grande beleza e serenidade.
A propósito gostaria de convidar para uma exposição que tenho no ISEG, Convento das Inglesinhas no Quelhas em Lisboa, e que pode ser vista no www.ruipaiva.com ou no Cultural: http:// rumapa.blogspot.com.
Beijos,
Apiour

Luis Eme disse...

Excelentes, a foto e o poema...

António Silva disse...

Como o silêncio faz bem ... enche o ego, cultiva a alma, permite respirar suavemente os aromas da nossa Mãe Natureza.
Tranquilidade, relaxamento e nada de stress é o que acompanha o verdadeiro e genuíno espírito do Poeta ou Poetisa e tudo isto transpira neste pequeno excerto.
Bom feríado e bom descanso.
Um abraço do Amigo Pensador- António Silva.