quinta-feira, junho 28, 2007

Não me recordo


Imagem de Elena Chernenko


Não me recordo se havia alguma flor
no meu jardim.
Talvez fosse Verão... mas todas as manhãs, ao acordar,
inexplicavelmente sentia saudades de mim.


Só sei chorar em português. Se minha mãe soubesse...
Como detesto os meus brinquedos de criança.
Talvez fosse Verão, e houvesse flores...
Eu é que não fui um jardim na minha infância.


Todos os astros se perderam no infinito.
Que saudades eu sinto de não ter sido um outro.
Talvez fosse Verão, sei lá, e houvesse flores.
Só eu não fui ninguém entre o meu ser
e o sonho de outro.

(Poema de Heitor Aghá Silva)

(in «Nove Rumores do Mar»,
org. de Eduardo Bettencourt Pinto,
Instituto Camões, 2000)

12 comentários:

  1. belissimo!!! esse autor é da Madeira, não é? já li sobre ele.
    Kisses da
    Vera

    ResponderEliminar
  2. Bem regressada!
    Uma otima escolha como é habitual em vc
    Beijão :-)))))

    ResponderEliminar
  3. Lindo poema!
    Beijus poéticos

    ResponderEliminar
  4. Desconhecia este Autor e gostei imenso...
    Obrigada.

    Um beijo enorme da

    M.M.

    ResponderEliminar
  5. Gostei da imagem diáfana e o poema que tão bem a complementa.
    Bjs
    TD

    ResponderEliminar
  6. Que imagem tão sensual. Muito bonita!
    :-D

    E que música tão calma p o espirito.
    Beijão!

    (ja´te respondi aquilo, no outro blog...)

    ResponderEliminar
  7. É sempre bom passar por aqui e descobrir novos poemas.

    ResponderEliminar
  8. Uma imagem merecedora do poema que nos ofereceste. É bom ter-te de volta!!!!!

    Muito jinhossss da Ana

    ResponderEliminar
  9. talvez tenha sido
    um incêndio de olhos
    quiçá de relâmpagos.
    acaso um vento magnético e solar
    terá soprado naquele verão
    numa estranha fluorescência de oiro e fogo
    e iluminado em intermitência
    qual boreal aurora
    os meus altares do nada.
    porque frágil é o corpo
    e efémero é o sonho
    talvez tenha sido assim
    um certo verão.
    um verão que foi meu.


    Belo poema!

    P.S.: Poesia, já te respondi nos Castelos. Dispõe.

    jinhos

    ResponderEliminar

Caros visitantes e comentadores:

Obrigada pela visita... é importante para cada um dos autores da poesia constante deste blogue que possas levar um pouco deles e deixar um pouco de ti… e nada melhor que as tuas palavras para que eles possam reflectir no significado que as suas palavras deixaram em ti.

E porque esta é uma página que se pretende que seja de Ti para TODOS e vice-versa, não serão permitidos comentários insidiosos ou pouco respeitadores daquilo que aqui se escreve.

Cada um tem direito ao respeito e à dignidade que as suas palavras merecem. Goste-se ou não se goste, o autor tem direito ao respeito da partilha que oferece.

Todos os comentários usurpadores da dignidade dos seus autores são de imediato apagados.

Não são permitidos comentários anónimos.
Cumprimentos,