quinta-feira, junho 07, 2007

Porque o descanso é preciso…


Venho já...


Podíamos saber um pouco mais
da morte. Mas não seria isso que nos faria
ter vontade de morrer mais
depressa.

Podíamos saber um pouco mais
da vida. Talvez não precisássemos de viver
tanto, quando só o que é preciso é saber
que temos de viver.

Podíamos saber um pouco mais
do amor. Mas não seria isso que nos faria deixar
de amar ao saber exactamente o que é o amor, ou
amar mais ainda ao descobrir que, mesmo assim, nada
sabemos do amor.

(Nuno Júdice in “366 poemas que falam de amor” pág.311)



Até breve...

40 comentários:

lena disse...

Poesia vais assim?


deixas um belo poema de Júdice, mas quero sentir-te aqui

deixo-te:

MESA DE CAFÉ


Estava sentada no meio do café, com as mesas cheias
à sua volta. Estava sozinha, e o olhar perdia-se
entre o ar e o balcão, fingindo estar atenta
ao que se passava, como se alguma coisa se
passasse entretanto. Tinha tomado o café; e o copo
de água estava cheio, ao lado de um cinzeiro
que não servia para nada, porque não fumava.

Segui a direcção dos seus olhos, vendo o vazio
formar-se no lugar em que os meus e os dela
se cruzavam, nessa zona branca do café em que
o fumo dos cigarros absorvia as conversas e
o barulho das chávenas. E deixei-a estar, por
algum tempo, na ilusão de que estava sozinha,
até olhar para a porta, de onde alguém viria.

Não fiquei para saber se quem chegou era quem
ela esperava, ou se continuaria a fixar o
horizonte da parede onde um relógio insistia
em pontuar o tempo. E continuo a vê-la,
puxando o cabelo para trás, num gesto de quem
julga que alguém vai chegar, sem saber que
quem havia de chegar a deixou sozinha, comigo.

Nuno Júdice


quero tanto que voltes já

um abraço e o meu carinho

beijinhos

lena

Anónimo disse...

Boas férias :-)

Descansa!
Beijinho Grande*******


A SULISTA

filipelamas disse...

Bom e merecido descanso!

carteiro disse...

Com um bom descanso, todas as outras coisas que precisamos se tornam muito melhores.

Bom descanso! :)

Anónimo disse...

a imagem és tu? como ñ referes autor penso que sejas tu. muito bonita. volta depressa k fazes aki falta. bom descanso :)))
Paulo

Paula Raposo disse...

Um lindo poema de Nuno Júdice, um até breve...beijos.

Inês Leitão disse...

Júdice. Júdice, Júdice

MARIA VALADAS disse...

Já me despedi de ti nos outros teus Blogs...e aqui deixo também o meu...ATÈ BREVE, se Deus quiser!

Beijinhos da

Maria

joão jacinto & poemas disse...

Parabéns, Nuno!
Belo poema!
Abraço,

joão jacinto

Me Hate disse...

Acho mal partires dessa forma inusitada... mas... ainda assim... quando a vontade, necessidade de nos apartarmos do mundo nasce em nós... há que segui-la!!!!!

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

bom descanso
bj

João Mãos de Tesoura disse...

Bom fds, férias ou o que te aprouver!

Abraço

Fuser disse...

sinta minha música como sinto tuas palavras.

intensamente.

beijos

fuser

António Silva disse...

Descansar é tempo de parar
reflectir e orar
ouvir e escutar
partilhar, curtir e repousar.

O repouso é sagrado
deve ser bem temperado
água, vinho e pão ralado
a fim da energia recuperar o agrado.

Um abraço e um excelente fim de semana.
São os votos sinceros e cordiais que te envio e que mereces.

La Rara disse...

Oi! eu sou da Argentina e na semana passada terminei o quarto nível de Português. Estava procurando poesia para nao esqueçer do idioma...e pra poder escrever no mesmo....tomara que você me possa ajudar...Obrigada! Naiquén!

Nilson Barcelli disse...

Do Júdice, nem é preciso falar.
Da tua ausência, espero que sejam umas boas férias, ainda que possam ser pequeninas...
Beijinhos.

Teresa Durães disse...

boas férias! (sem Judice ahahah)

naenorocha1@hotmail.com disse...

VIGÍLIA

Quando chegares da distância,
Ainda não estarás comigo,
Quando entrares nos meus braços,
- meu abraço-
Ainda não estarás comigo
Quando entrares em nossa casa,
- na nossa casa –
Ainda não estarás comigo
Quando deitares no meu leito,
No meu leito – no meu leito –
Ainda não estarás comigo.
Quando estiveres bem no centro
Até o profundo do meu ser,
Ainda não estarás comigo,
Ainda não estarás comigo.
Quando deitares no teu leito,
- no teu leito –
E quando aos adormeceres
- dormires –
E quando a noite escurecer
- tudo escuro –
Quando eu, vigília, dentro do teu sono,
Sentir que dormes, teu sono merecido
Aí, tu estarás comigo,
Estarás comigo – estarás comigo,
Aí amor, estarás comigo.

Um beijo
Naeno

aDesenhar disse...

vai pela sombra e
boas férias.

:-)

Anónimo disse...

e vais demorar muito???

bj AM

joão oliveira disse...

ola, tenho uma surpresa no meu blog
beijinhos

António Silva disse...

Desejo-te um merecido descanso, também eu vou descansar no mês de Agosto, tal como tu ... alguém vai sentir a minha ausência.
Mas como diz o pregão popular e aqui dou a mão à palmatória: ninguém é insubstituível.
Sentimos a tua ausência mas como forma de te recordar é a Blogosfera continuar o seu bom trabalho.
E da minha parte o empenho será sempre o maior possível.
Um sentido e caloroso beijo e abraço ... até ao teu restabelecimento completo e bom regresso à companhia.

aaron@iol.pt disse...

Bonita foto marota. Não dás descanso ao cavalinho e regressas?
ele deve estar cansado e eu estou esperando!!
bjinhos do aaron :-))))

Sulista disse...

Atao Maria, já descansaste e voltaste? ...já te vi por aí, na Blogosfera e é sempre bom voltar a ler-te :-D


Beijinho Grande Menina AMiga ;-)

·•·•Ðιкα·•·• disse...

Amei seu blog...
Muito linda as poesias e as imagens
BjO Grande!!!

Menino Azul disse...

É sempre bom vir aqui, mesmo que eu não venha sempre, sempre sinto que escolhes delicadamente cada poema, cada sentido nos faz mergulhar em sensasões.

Abraços

ediney disse...

adorei o poema,e a idéia de sermos sempre adeus

Anónimo disse...

Olá, menina!
Percebo que continuas em férias! Ótimo isso!
Gostei muito do poema da Cleopatra. Poderias enviá-lo a mim?
lasorciere21@hotmail.com
Bjinhos e muito obrigada.

Alves Bento Belisário disse...

"...E ver esbater-se
O verbo na madrugada do sossego
Dos seios das virgens."

PoesiaMGD disse...

Parece que não vale a pena saber muito, mais vale viver muito!
bj

Anónimo disse...

Querida Amiga...

É com "Amor" que termino esta visita aos teus blogues, depois de uma ausência longa.

Lindo poema do Nuno Júdice, acompanhado com uma música que só tu sabes escolher.

Tudo de bom para ti, na companhia de tua familia e volta depressa...

"Onde quer que estejas,
Trazemos-te no pensamento,
Impacientes, desatinos.
Longe, no firmamento
Imensa é a solidão
A rasgar nossos destinos !..."

Que Deus te abençõe

Coffe Cup disse...

À procura de poesia encontrei este teu espaço... de que gostei muito. A música é divinal e a selecção de imagens está em perfeita sintonia com os poemas.
Bom descanso e até breve.
S.

Bárbara disse...

Foi bom passar aqui após tanto tempo sem passear por estas bandas e deparar-me com uma surpresa tão agradavel como este poema. Presenteias-nos sempre com boa poesia.

Abraço.

MIGUEL GIRASSOL disse...

volta.fazes falta

Humberto Morais disse...

Descobri este espaço por puro acaso, mas gostei do que aqui encontrei.
Parabéns pelo trabalho efectuado.

Deixo aqui o endereço do meu espaço caso o queiras visitar.

www.eccescriptum.blogspot.com

aaron@iol.pt disse...

Não acabaram as férias? Ai menina que me vou zangar contigo! Estamos todos esperando.
Bjinhos
aaron

Rodrigo disse...

Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Até mais.

VENDIË disse...

Lindo poema este! Adorei. Tive a ver o seu blog assim por alto, mas gostei do que encontrei, certamenta que voltarei para ver com mais cuidado!

Abel Caetano disse...

nuno judice e a sua bela poesia. gostei mt da foto. é vc?
beijão

Anónimo disse...

bela fotografia. és tu??
beijinhossssss da Anna - tou de volta -