sexta-feira, outubro 19, 2007

O mar tão perto...


São estes os caminhos que percorro diariamente, que fortalecem a minha alma e acalmam o meu espírito.


O mar estava perto,
Fremente de espumas.
Corpos ou ondas:
iam, vinham, iam,
dóceis, leves,
só alma e brancura.
Felizes, cantam;
serenos, dormem;
despertos, amam,
exaltam o silêncio.
Tudo era claro,
jovem, alado.
O mar estava perto
puríssimo, doirado.

(Poema de Eugénio de Andrade)



É deste mar que retiro toda a essência que percorre as minhas veias e nele procuro a nascente onde vou beber a minha sede.

(fotos minhas...)

23 comentários:

carla mar disse...

É no MAR... que tenho o meu jardim secreto!
Como te entendo.
ADORO EUGÉNIO DE ANDRADE.
Beijinho carinhoso :)

Paula Raposo disse...

Um poema mais que belo, tal como o mar que eu amo!! Beijos.

Lumife disse...

TRUZ! TRUZ! eu sei, sim, que a casa já está de novo aberta aos nossos olhos para nos deliciarmos com os poemas que tão bem sabes escolher e partilhar.
Já tínhamos saudades ainda que nos fossemos "vendo" por aí...

E trazes para recomeçar nova caminhada um dos melhores poetas que muito aprecio.

Beijos

Teresa David disse...

Também é na vastidão do mar que sinto sempre o apaziguamento e o alargar dos horizontes que tanto me agradam.
Bjs
TD

Era uma vez um Girassol disse...

Querida Marota, não digas que não vais voltar...
Eu voltei, tive coragem para pisar os lugares onde tinha vivido, exorcizar os meus fantasmas.
Vou contar uma história interessante no post seguinte e tu vais compreender. Que não é preciso lá ir para os lembrar e pedir por eles. Porque afinal estiveram sempre junto de ti.
Essa foi a grande lição que colhi.
A melhor e mais bonita flor.
O meu verdadeiro girassol.
Um grande beijinho

Praia da Claridade disse...

O mar e os seus encantos, os seus segredos, a tristeza de muitos, sempre uma fonte de poesia, Eugénio de Andrade e tantos outros, como aquele que ficou no coração dos portugueses:
"Ó mar salgado, quanto do teu sal São lágrimas de Portugal!..." do nosso querido Fernando Pessoa !
Sinceros votos de um bom fim de semana.
Abraço,
Filipe

Anónimo disse...

Todos os poetas são sonhadores. O mar leve-nos o sonho e traz-nos o sonho. O sonho do infinito que nos atrai e nos torna pequenos; o infinito que enche a imaginação; o infinito que mora na beleza de cada verso que se faz com amor, o infinito que mora na generosidade de pessoas como a " menina-marota"; o infinito para lá de nós; o infinito da criação.
Um abraço grande à Otília e todos os amantes da poesia.
João Norte
intro.vertido.weblog.com

Baby disse...

Mar de infinito azul
Que a alma nos acalma,
Se sereno está
E nos deslumbra,
Quando uma pálida ideia
Da sua imensa força nos dá!
Parabéns pelas fotos e obrigada pelo poema.

ZezinhoMota disse...

O Poema já por si é belo e é ainda mais com esta melodia de fundo.

Sinceramente?

Até me arrepiei de tanta emoção.

Obrigado por um momento que de tanto belo que é será para ser recordado.

Bom fim de semana.

ZezinhoMota

António disse...

Humm...
Até chega aqui o cheiro a maresia...

Beijinhos

Anónimo disse...

Finalmente apareceste e trouxeste o cheiro a maresia. Ainda bem
Xi
Elsa

Dulce disse...

Belo o teu mar para iluminar as palavras do Poeta!
Beijos

cris disse...

Campo… de Mar

Olhar o mar como se olha para o céu como se olha para o campo...
As estrelas estão lindas, brilhantes, num firmamento trigal.
Os peixes são agora papoilas e as ondas mil flores silvestres, ondulando sob nuvens, vagas de espuma em flor!
E as algas entrelaçam-se, trepadeiras, namorando os astros, quais frutos em árvores frondosas.
O coral é já sol-posto, repousado em rochedos, horizontes sobre oceanos, prados a perder de vista...
Já se adivinha o encanto...


A maré-cheia corre, estende seus braços de água e, transformada em ribeira, ladeia, cantarolando, o imenso areal dourado, qual eira, enchendo-a duma frescura tão marinha, tão campestre!
Brotam os búzios viçosos e as conchas são borboletas, com asas de madrepérola...
E cantam, com voz de aroma de marés vivas, sobre campos azuis, prontos para serem ceifados.
Dormem os pescadores...descansa a faina...sonham que são lavradores...


Veste-se a praia de verde e pede à noite que se junte à fantasia; que lhe traga o vento para com ela bailar ao som da melodia das dunas tão moçoilas, lindas ceifeiras!
Lá longe a montanha sorri e a festa vai durar, estender-se pela madrugada até que o dia os avise que é tempo de recolher porque a noite quer ir deitar-se e o sol-posto vai ser de novo coral.


Descansa o encanto nos braços do dia mas promete voltar!
Trará com ele a noite e será outra vez festa, num campo verde, no mar!
E vai fazer os pescadores dormir de novo, repousando da faina sonhando que são lavradores.
E a praia vai tornar a vestir-se de verde, vai bailar, descalça, com a brisa pelos ombros...
Mas desta vez, num mar que se tornou campo, olhada pelas dunas ceifeiras, nos braços ternos do vento.


Com um beijo e que tragas sempre a poesia no colo com a mesma ternura com que se leva um cesto cheio de sorrisos acabados de colher.
Cris

lena disse...

belo o teu começar, com o mar que eu amo

belo o poema, belas as fotos

o cheiro a maresia chega até mim nesta noite que há muito entrou

sentia saudades de ler de novo neste cantinho que sempre me encanta e tanto me ensina

hoje reli o Mar de Setembro de Eugénio e o mar esta tão perto de mim

a brincar como só sei fazer escrevi:

mergulhei o olhar nesse mar e com o olhar bebi-o

mar que canta e encanta
num setembro passado

mar que de saudade faz dor
mas embrulha a alma no verbo amar

mar de ondas dóceis
que num silêncio acariciam

mar de aromas infindáveis
de maresia embebidas

mar de tantos sóis
que secam lágrimas de uns olhos

mar principio, mar infinito
concha fechada de ninguém

...

l.maltez

abraço-te com muito carinho, abraço-te com ternura, com muita amizade

beijinhos para ti e obrigada por estares

lena

Olhos de mel disse...

Linda poesia, lindas imagens! Esse é um lugar perfeito para um descanso, aliviar a cabeça dos problemas...
Que sua semana seja feliz!
Beijos

Isabel-F. disse...

o poema é lindo
_____

e o mar ... a água ... fascinam-me.
____

parabéns pelas fotos.

beijinhos e boa semana

directriz disse...

agora percebe-se porque o que aqui aparece é tão etéreo...

Graça Pires disse...

O mar. Eugénio de Andrade. As fotos. Tudo uma beleza. Beijos.

lina disse...

Belissimo regresso!
Com um cheiro a maresia estupendo a aromatizar as palavras do Grande Eúgénio. Parabéns!

Beijinhos da Lina

Cleopatra disse...

Voltaste! Que bom.

Teresa Durães disse...

lindas as fotografias e as palavras que as acompanham!

beijos

Camila disse...

Olá, tudo bem?

Acabo de conhecer teu blog e me encantar... amo poesia portuguesa, especialmente Eugenio, Pedro Paixão, Maria do Rosário Pedreira... ah, a lista vai longe.

Beijos do Brasil

Clitie disse...

Parece que não me são estranhos esses teus caminhos... :-)

Beijinhos