quarta-feira, fevereiro 06, 2008

Há quem diga


Fotografia de Luís Lobo Henriques



Há quem diga
que o poema só vale uma ilusão
de salvar do naufrágio a certeza
arrumada além-mar do coração.

Há quem jure
que a alegria vale menos que a pobreza
de carpir a presença da saudade
no sorrir macilento da tristeza.

Também dizem
que um poeta só vale a ingenuidade
a cuidar que é verdade o seu amar
sem julgar o que é falso ou realidade.

Ainda assim,
é no todo que eu busco o meu trovar
sem banir a contenda que me assola
no silêncio dos cantos por achar.

(Poema de Nilson Barcelli in
NimbyPolis)




Nota: O Poesia Portuguesa passará a publicar na sua versão original, ou seja, às segundas, quartas e sextas-feiras.
Um abraço a todos.

10 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

Ainda bem!
E aqui nos deixas um poema lindissimo do Nilson.
O Nilson é uma referencia na blogesfera e os seus poemas, quase sempre carregados de uma carga sensual q.b. são sempre de leitura obrigatória para quem gosta e entende a poesia no seu todo.
Que o PortuguesaPoesia continue a nos trazer a poesia que cá se vai fazendo e lendo, e que tu tão bem sabes escolher e nos dar a compartilhar.

Bem hajas!

© Piedade Araújo Sol disse...

Em tempo!

A foto do Luis Lobo Henriques está muito bem para o poema.

Também ele uma referência no Olhares.com.

Beijo

Nilson Barcelli disse...

Cara amiga, obrigado pelo destaque.

Beijinhos.

Anónimo disse...

Adoro a poesia do Nilsonn e minha visita diária é obrigatória em todos os dias.
Que bom vc trouxe este poema aqui com esta musica maravilhosa que até parece que estamos no céu.
Montes de beijos
Ni

DelfimPeixoto disse...

Foi bom ler e reler
jnhs

rouxinol de Bernardim disse...

Viva o Nilsen Barcelli com o aroma poético sempre sedutor, sublime neste seu mister de «guardador de rebanhos», perdão: «guardador de palavras»!

Ariana disse...

Um dos poemas que mais gostei de ler no blogue dele! Simples mas que diz tudo
Bj
da
Ariana

Carlos Martins disse...

Este belo poema de Nilson Barcelli contém todo o conceito do que considero ser a verdadeira Poesia.
Fala de Sentimentos, de Ilusão, de Saudade, de Frustação.
E de Esperança, também.

Refere tudo isso com leveza e com sensibilidade.
Sem cair em vulgaridades desnessárias que só desprestigiam quem as escreve.

Verifico que o teu critério na escolha das poesias que publicas se apura cada vez mais.

Ainda bem que assim é...

Carlos Martins

Paula Raposo disse...

No geral gosto do que o Nilson escreve. Nem sempre, porém. Este é um dos poemas de que gosto. Beijos.

Luisa Costa disse...

Há mt k leio o Nilson e gosto da maior parte da sua poesia para além de ter um blogue lindo!!!!!!
Só te posso dar os parabéns por o teres escolhido vê-se que tens bom gosto!!!!
´Beijossssssss