sexta-feira, fevereiro 29, 2008

Identificação


Pintura de Zhaoming Wu


Sei quanto me queres porque te quero
e queremo-nos ambos com ardor.
Esperas-me também porque te espero
e nessa espera aumenta o nosso amor.

Eu vejo à minha frente os teus desejos
no brilho dos meus olhos reflectidos,
e sinto nos meus lábios os teus beijos
despertando-me todos os sentidos.

Eu leio nos teus versos os meus versos
e ao ler-te tenho esta visão suprema
de ver fundir-se os nossos universos
na imensa galáxia de um poema.

E sem te ter eu tenho-te ao meu lado
e tu, que estás distante, estás tão perto,
que acabo por dormir sempre acordado
no berço do teu colo em que desperto.

Que este amor, meu Amor, é mesmo assim
e o que parece ser contradição,
não é mais, afinal, que a afirmação
de que eu só sou quem sou porque és em mim.

(Poema de
Fernando Peixoto in Arca de Ternura)

9 comentários:

helena disse...

Obrigada, amiga por mais esta partilha.
O poema é sublime e mexe muito com os sentimentos de quem o lê.
Beijinhos

© Piedade Araújo Sol disse...

Muito bonito o poema.

rimado com primor.

muito sensivel.

gostei.

beij

Maria P. disse...

"E sem te ter eu tenho-te ao meu lado"
Belíssimo...

Beijinho e bom sábado*

A.S. disse...

Um poema que revela todo o talento do F. Peixoto!... BRAVO!!!

Um grande abraço querido Amigo!

Albino Santos

António Melenas disse...

Poema perfeito! no sentido e na forma - qualidades que não muito frequentemente se juntam.

António Melenas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
jorge@ntunes disse...

belissima antologia poetica esta...
um lugar a voltar...

Anónimo disse...

---E sem te ter eu tenho-te ao meu lado---

Sempre apreciei a capacidade do poeta que consegue exprimir estes sentimentos que eu nunca fui capaz de dizer; parabéns por este poema e pela capacidade desta expressão.
Alberto

Paula Raposo disse...

Adorei este poema!! Mais que belo!