quarta-feira, fevereiro 27, 2008

O Silêncio da Noite


Pintura de Fulvio de Marinis


Começo a noite ao teu lado!
Entras nos meus sonhos
e espero por ti nas palavras
que se acendem
no fogo de uma noite inextinguível,
no desespero dos labirintos
onde sinto a solidão da sede,
nos minutos de noites intermináveis…

A porta ficou aberta,
nada te impede de transpor o limiar.
Há um desejo que te empurra
como se fosses um corpo inabitado
buscando a luz de um sim, que respira
a voragem da tua nudez completa.

Chegas! Rompeste a névoa,
Trespassaste a hegemonia da sombra,
com palavras nuas na solidão da noite,
com o fulgor de um começo puro,
com a fragrância dos teus olhos matinais.

É este o tempo que temos!
Dias que serão breves momentos
de um silêncio que tem voz…
Tempo de dar vida aos sentimentos
que pulsam em de cada um de nós!...

(Poema de
Albino Santos in Poemas de Amor)

8 comentários:

Carlos Barros disse...

São silêncios, senhor! São silêncios.

abraço

Anónimo disse...

Faz sonhar!!!

Isa

Isa&Luis disse...

Olá,

Belo poema...uma torrente de emoções ao rubro.

Imagem muito bela e a musica melodiosa..Um encanto!

Beijinhos

Isa

Fernando Peixoto disse...

Mas, oh gente! Palavras para quê?
É um poema do Albino!

Fernando Peixoto

Vera disse...

Um poema belíssimo do grande Poeta Albino Santos.
Adoro todos os seus poemas e este é mais um... PERFEITO!

Beijinhos

Anónimo disse...

adoro os poemas do Albino!!!!
Kisss da A.

Paula Raposo disse...

Excelente pintura escolhida, para um bonito poema de amor...beijos.

Anónimo disse...

De onde vem esta sensibilidade???