segunda-feira, julho 21, 2008

Em dia de Aniversário...

O Porosidade Etérea é um blogue que teve a origem do seu nome, segundo as palavras da sua autora, no poema…

Máquina do Mundo

O Universo é feito essencialmente de coisa nenhuma.
Intervalos, distâncias, buracos, porosidade etérea.
Espaço vazio, em suma.
O resto, é a matéria.
Daí, que este arrepio,
este chamá-lo e tê-lo, erguê-lo e defrontá-lo,
esta fresta de nada aberta no vazio,
deve ser um intervalo.

De António Gedeão


Falar do Porosidade Etérea é convidar-vos a percorrer e conviver com a Poesia que a Inês Ramos nos aferta de uma forma altruísta, diria mesmo carinhosa.


Eu adoro todas as coisas
E o meu coração é um albergue aberto toda a noite.
Tenho pela vida um interesse ávido
Que busca compreendê-la sentindo-a muito.
Amo tudo, animo tudo, empresto humanidade a tudo,
Aos homens e às pedras, às almas e às máquinas,
Para aumentar com isso a minha personalidade.

Pertenço a tudo para pertencer cada vez mais a mim próprio
E a minha ambição era trazer o universo ao colo
Como uma criança a quem a ama beija.
Eu amo todas as coisas, umas mais do que as outras,
Não nenhuma mais do que outra, mas sempre mais as que estou vendo
Do que as que vi ou verei.
Nada para mim é tão belo como o movimento e as sensações.
A vida é uma grande feira e tudo são barracas e saltimbancos.
Penso nisto, enterneço-me mas não sossego nunca.

Dá-me lírios, lírios
E rosas também.
Dá-me rosas, rosas,
E lírios também,
Crisântemos, dálias,
Violetas, e os girassóis
Acima de todas as flores...

Deita-me as mancheias,
Por cima da alma,
Dá-me rosas, rosas,
E lírios também...

(Excerto)

(Poema de Álvaro de Campos in
Fernando Pessoa, Obras Completas - I Volume, pág.432/433)


Pelo 2º. aniversário do Porosidade Etérea endereço à Inês Ramos as minhas sinceras felicitações pelo trabalho desenvolvido, desejando-lhe as maiores felicidades a todos os níveis...

9 comentários:

Inês Ramos disse...

Obrigada!
Por tudo!
Pelas visitas, pelos comentários, pelo apoio...
Por este belíssimo poema de Álvaro de Campo, pelas tuas palavras...
Por me mostrares que vale a pena dar sem esperar nada em troca.
Obrigada!
Neste dia em que tenho de trabalhar, mesmo engripada, este post foi o meu elixir.

Ruvasa disse...

Viva, Poesia!

Bem-reaparecida!

Abraço

Ruben

Graça Pires disse...

Obrigada pela informação. Já deixei o meu recado no blog de Inês Ramos que não conhecia.
Um beijo.

aminhapele disse...

Em data de comemoração,deixo as palavras de Eugénio de Andrade:
"...
Amanhã saberei em que regaço as palavras se dispõem a dormir "

© Piedade Araújo Sol disse...

daqui deixo os meus parabéns à Ines.

a ti deixo a minha justa admiraçao pela tua generosidade.

bem hajas!

e que a poesia portuguesa volte à blogesfera.

um beij

Paula Raposo disse...

Não conheço o espaço da Inês. Irei lá. Obrigada por partilhares connosco o teu saber. Muitos beijos.

aaron@iol.pt disse...

Voltaste em grande!! Parabéns a ambas pelo amor demonstrado à poesia. Que seja para ficares!! Não voltes a dar-nos um desgosto destes que foi a tua ausência.
Beijão do aaron

Américo disse...

Lindo...Sem duvida..
Não ha palavras para descrever a beleza duma boa poesia :D

Abraço

Anónimo disse...

A POESIA é o alimento da ALMA e a chave da LIBERDADE.

PARABENS pelo blog: está LINDO!

Sou nova na blogesfera, mas podes ver os meus blogs: http://poetaisabelmoreira.blogspot.com /http://poeta-isabelmoreira.blogspot.com /http://poemasminharute.blogspot.com /
beijo!