quinta-feira, outubro 02, 2008

De volta à Poesia da Blogosfera...


Pintura de Michael and Inessa Garmash



(Paráfrase inspirada no poema "Porque voam as Pétalas?", de Paulo de Carvalho):



No meu jardim


No meu jardim
ouço o som da maré-cheia
e o grito das gaivotas;
vejo as árvores
que se despem
e os outros pássaros mudos,
tristes, pousados nos ramos.

O forte ruído da chuva
assusta-os, mantém-nos calados...
um relâmpago ilumina
de repente a tarde escura,
a maré-viva faz-se ouvir
com violência, contra as rochas,
o ribombar do trovão
faz coro com a tempestade.

As gaivotas continuam seu grasnar
numa luta contra o vento
que as impede
de alcançar porto seguro,
indiferentes que lhes é
a serenidade
repousada em meu jardim.



(Poema de
Maria Carvalhosa)

10 comentários:

mundo azul disse...

Um poema fluido de versos bonitos...Muito bem construído!!!

Gostei!

Beijos de luz...

Vieira Calado disse...

Olha lá!
Não conhecia o blog...
É fixe!
Cumprimentos

Paula Raposo disse...

Um poema muito terno. Gostei imenso. Beijos.

Anónimo disse...

Uma imagem perfeita para um belo poema. Parabéns pela partilha
Milhões de beijos no teu coraação
Ju

Ilona Bastos disse...

Maravilhosos: o blog, no seu design, a música que nos convida a permanecer e percorrer, post após post, a poesia e as imagens cuidadosamente escolhidas. Belíssimo trabalho! Muitos Parabéns!

elvira carvalho disse...

Muito bonito o poema.
Gostei. Um abraço e bom Domingo.

© Piedade Araújo Sol disse...

muito terno e muito bem conseguido.

parabéns às duas...

Graça Pires disse...

Eu gostei imenso deste poema da Maria. Já lho tinha dito no blogue dela.
Um beijo MM.

maria carvalhosa disse...

A pintura é lindíssima, querida amiga, bem como a música de fundo.
Obrigada por teres dado uma nova disposição aos versos. Ficou bem melhor assim.
Beijinhos.

Miguel disse...

Olá poeta, gostei muito do seu desabafo. Muito interessante! Gostaria de poder aproveitar para fazer publicidade ao meu Blog. Abraço

http://oceanopuro.blogspot.com/
Um pequeno blogue com poemas de alguém...para ninguém...