domingo, dezembro 07, 2008

… Nada Ser


Imagem de Albert Young


Nada sou!
E contudo, sou.

Sou, porque tu és,
porque fazes com que seja.

Vamos dar asas ao desejo.
Explorar o lugar onde o tempo pára
ou atravessar a pálida névoa
no cosmos das águas tranquilas,
onde reside o verbo,
onde o espírito se aquece
e a alma se refresca.

Vamos dar asas ao desejo.
Mergulhar no impulso do inúmero
ou calcorrear as cascatas do céu
no infindo das terras sagradas,
onde tudo é harmonia,
onde se vê o incomensurável
e se sente o improvável.

Sim, vamos dar asas ao desejo!
Deixar que ele nos leve à génese do ser
e ser qualquer nudez na fluidez do nada.

Se nada sou
e mesmo assim sou,
deixa-me Nada permanecer
e contigo apenas Ser.

(Poema
do Inatingível e outros Cosmos)

15 comentários:

Hélder disse...

Sejas benvinda Otília!Já tinhamos saudades :-)
Excelente escolha esta. Belo sonho de comunhão neste nada ser que tanto deseja.
Beijos e obrigado.
Hélder
PS - O SL requer uma disponibilidade de tempo que ainda não consegui reservar, mas prometo que o assunto não está esquecido ;-)

Fenix disse...

LINDO!!!

Não sei que mais diga...
Não poderia acrescentar ou alterar uma letra. Está tudo lá, no devido sítio!

Vera disse...

Um belíssimo poema, de onde destaco o final que lhe dá um toque especial. Bastante reflexivo :)

Beijinhos

Paula Raposo disse...

Lindíssimo poema! Obrigada pela partilha, Otília. Muitos beijos.

Raquel disse...

Simplemente lindo :)

É bom encontrar espaços como este aqui.

Liliana disse...

Amo a poesia do Vicente!!
Lindo!!! lindo!!! uma bela escolha.
Kiss da Lili

Liliana disse...

Amo a poesia do Vicente!!
Lindo!!! lindo!!! uma bela escolha.
Kiss da Lili

rouxinol de Bernardim disse...

Excelente! gostei muito.

PNETliteratura disse...

Gostei deste blog

JustMe disse...

Lindo
Alguem ainda diz
"Nada
é a simplicidade do teu nada
que para mim és tudo!!!"

Mto Obg...

JustMe

JustMe disse...

Lindo
Alguem ainda diz
"Nada
é a simplicidade do teu nada
que para mim és tudo!!!"

Mto Obg...

JustMe

Graça Pires disse...

Dar asas ao desejo.
E um belo poema. Também visito este blog.
Um beijo.

Anónimo disse...

com poemas de escola
comeco entao.
de todo uma vida
cheia de ilusao

dar asas ao desejo;
ao amor e amizade,
e entao mais um protesto
para fugir da realidade.

quando de uma vida
um sonho acordamos,
depressa apercebemo-nos
a sua funcionalidade.

por: mp2f@live.co.uk

Lviz de Andrade Pherreira disse...

(...)"deixa-me Nada permanecer
e contigo apenas Ser."

gosto!

parabéns pelo poema, muito bom.

VFS disse...

Olá Otília,

tens um selo no do Inatingível.

beijos
Vicente