domingo, janeiro 04, 2009

FIM DE ANO


Imagem pessoal



São os meses
São os dias
as horas todas as vezes

Quantas depois
se iniciam
retornando ao seu alpendre

São os anseios
São o sonhos
a esperança e o devaneio

Quando o ano
no seu fim
torna ao começo em seu veio


Poema, por cortesia, de Maria Teresa Horta

Lisboa, 30 de Dezembro de 2008



5 comentários:

  1. Sempre fortes os poemas da Maria Tereza Horta! Beijos.

    ResponderEliminar
  2. um bom poema para começar o ano e de uma grande Poeta.

    um bom ano para ti e um beij

    ResponderEliminar
  3. 2009 cheio de poesias e poetas MM!!
    Que nos continues a trazer a poesia e a alegrar nosso corações
    Beijão
    Vitor

    ResponderEliminar
  4. Gostaria de indicar o blog Revista Lusofonia: www.revistalusofonia.wordpress.com com artigo sobre a obra de Maria Teresa Horta

    ResponderEliminar
  5. Parabéns pelo blog voltado para cultura. Leia minha poesia: CANTO AO CEARÁ, selecionada para coletânea do XII Prêmio Ideal Clube de Literatura. Obra lançada no dia 21 de janeiro de 2010. Leia, comente e divulgue. Veja também meu documentário, penúltima matéria do blog: Padim Ciço, Santo ou Coronel? Meu blog: www.valdecyalves.blogspot.com

    Veja documentário sobre Padre Cícero: Padim Ciço, Santo ou Coronel? E conheça um dos mais polêmicos personagens do Brasil e da América Latina, onde o messianismo é um fenômeno que responde à opressão social. Basta clicar no link: http://www.youtube.com/watch?v=Fdp5GrhEyHg

    ResponderEliminar

Caros visitantes e comentadores:

Obrigada pela visita... é importante para cada um dos autores da poesia constante deste blogue que possas levar um pouco deles e deixar um pouco de ti… e nada melhor que as tuas palavras para que eles possam reflectir no significado que as suas palavras deixaram em ti.

E porque esta é uma página que se pretende que seja de Ti para TODOS e vice-versa, não serão permitidos comentários insidiosos ou pouco respeitadores daquilo que aqui se escreve.

Cada um tem direito ao respeito e à dignidade que as suas palavras merecem. Goste-se ou não se goste, o autor tem direito ao respeito da partilha que oferece.

Todos os comentários usurpadores da dignidade dos seus autores são de imediato apagados.

Não são permitidos comentários anónimos.
Cumprimentos,