domingo, janeiro 18, 2009

Terra


Imagem pessoal

Aqui te habito...
Tuas fúrias levam-me,
trazem-me...
surpreso da tua força,
tento reerguer-me,
numa fugaz luta desigual.
E tu sorris,
sorris sempre,
do que faço
para te agarrar,
não me fugires,
com esses outros,
também teus,
meus irmãos de rota,
nesta fragata
que nunca ancora,
que sempre voga,
e que de baixo de si,
ao seu ventre,
inadiável,
hei-de baixar...

(Poema de
Jaime A.)

11 comentários:

Paula Raposo disse...

Muito belo poema...irei visitar o seu autor. Beijos para ti.

Fenix disse...

"Não lutar contra a maré"...
Sorrir para quem nos sorri...
Abraçar nossos irmãos, de rota...
E continuar..., sempre a lutar...

Bonito poema

Abraço
Fenix

Jaime A. disse...

Sinto sempre uma comoção quando vejo que algo que escrevi "saltou" (por mão benevolente) para outro "lar".
Há algo narcísico no modo como vasculho os comentário no "Sopro". Não sei se é suposto ser assim, mas sei que também aprendo muito.
Agradeço o seu gesto, muito.

as velas ardem ate ao fim disse...

Deixo um poema lindissimo:
Apanhei o cabelo
em rabo de cavalo
agora a minha solidão
vê-se melhor
vê-se tão bem
como a minha face
E a minha face
é desassombrada
as sombras
não são minhas.
Adília Lopes

bjos

Ana Matias disse...

Muito lindo o seu blog!
Adorei o poema!
Beijo!

Graça Pires disse...

Bom poema de um autor que também visito.
Beijos MM.

Maria Clarinda disse...

Lindo o poema, Mais uma bela partilha.Jinhos muitos

Nathália disse...

Olá, peço que, se possível, divulgue o site do poeta Ulisses Tavares (www.ulissestavares.com.br) em seu blog.
Mandando um email para nós você concorre a um livro por semana do escritor!
Desde já agradeço a gentileza.

Abraços!

Anónimo disse...

Simplesmente belo. Real. Parabéns ao autor e a ti por o divulgares.
Mil bjs

Anónimo disse...

eu adoro

Anónimo disse...

eu adoro