quarta-feira, junho 16, 2010

ausência


Imagem de Marta Dahig

À sombra da tua ausência
Repouso os meus olhos
Fechados, inertes
Vagueiam por mim
Procurando destroços
Em que despertes,
De repente…

Sei-te ausente,
- Mesmo…
Sei que não posso
esperar-te
- De todo…
Mas este vício
De aguardar-te
Prende-me como lama,
Lodo
Atrofiante, espesso…

E como nódoa
Entranhada
Permaneces como gesso
Colado à parede
Do meu afecto
Qual vinagre
Na minha sede
Qual erro
De tudo
Quanto em mim
Está certo…


Poema de
Virgínia do Carmo

17 comentários:

Virgínia do Carmo disse...

Muito grata pelo seu gesto e pelas suas palavras... Virei com mais calma para conhecer melhor este magnífico blogue!

Mais uma vez obrigada e deixo, sensibilizada, o meu abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

PP

mais uma bela escolha de um poema belissimo.

grata pela divulgaçao desta autora, que confesso.nao conhecia.

beij

Anónimo disse...

Um lindo poema que gostei de ler.
Estamos de parabéns por este site voltar ao normal funcionamento a que nos habituámos.
Mauro Ferreira do Amaral

Canto da Boca disse...

Lindo mesmo! Essa saudade imbricada nas vísceras, tatuada na pele, na alma!

:)

Anónimo disse...

Lindo poema que é uma metáfora perfeita.

Júlia Lopes
Benavente

Graça Pires disse...

Gosto do poema da Virgínia do Carmo. Obrigada pela partilha.
Um beijo.

JULIANA disse...

A Virgínia é maravilhosa, e este blog também. Adorei a foto do post.

Susana disse...

Gostei imenso deste espaço de poesia.
Como também escrevo, gostava que visitassem o meu blog de poesia e deixassem a vossa opinião =)
www.arte-poetica-ss.blogspot.com
Boa sorte para todos

The Butterfly disse...

Gostei do poema!
Se quiser ver o meu blog:
http://fiquemais.blogspot.com/
Valeu

TC9DJ9 disse...

gostei do teu espaço:) visita o meu e opina:) debbysilva.blogspot.com

Imagem e Poesia disse...

Palavras fortes descrevendo o sentimento saudade. Belíssimo!
Beijinhos
Ceiça

Gigi disse...

Muito bonito...parabéns!

joana disse...

"a tua ausência dói"

Luis Eme disse...

nada como este poema, para receber um "ausente".

que bom continuares a divulgar a poesia e os poetas.

beijinho

jAIME disse...

HÁ PESSOAS QUE NÃO GOSTAM DE POESIA. PORQUE SERÁ?

Tu estás em mim como eu estive no berço
como a árvore sob a sua crosta
como o navio no fundo do mar

Mário Cesariny

Sandra Botelho disse...

MARAVILHOSA POESIA...
BELA COMO VOCÊ.
BJOS ACHOCOLATADOS

Poeta Anónimo disse...

Realmente gostei deste poema, é o que ausência nos provoca... e gosto da maneira de como o próprio corpo textual do poema está feito

Muito bom!