quinta-feira, janeiro 01, 2015

Estuário dos tempos



são inocentes os olhos que acordam
na fonte do princípio,
na origem das nascentes.

maculados os outros, que adormecem
na foz dos invernos.

no estuário dos tempos.



Foto: LNM – Janela – Silves


2 comentários:

Graça Pires disse...

Gostei muito deste poema. Obrigada pela partilha, amiga.
Beijo.

Manuel Pintor disse...

olhos de acordar
por que nascem