sábado, novembro 26, 2005

Aurora Boreal...


Fotografia de Phil Hoffman daqui


Já não me lembro
da última noite
que consegui
adormecer.....

com Xanax,
carneiros
sobre
cercas celestiais,
Valium,
Meditação,
Yoga,
Leite quente,
Chá de tília,
Conversas sem nexo,
Cansaço...

Já não me lembro!

Agora adormeço,
pouco,
apenas
embalado
por
Tangos,
Valsas,
e a música do teu nome!

E, meu amor,
se a manhã chegar
numa
imensa,
Mágica,
AURORA BOREAL,
deslizarei
pelo teu mapa astral,
até ao umbigo
de todos os teus planos,
para depositar
carícias plenas
e fazer brotar
uma fonte de água fresca,
que nos sacie aos dois....

Poema de Antonior in Red Grine & Blu

40 comentários:

lena disse...

Acabei de passar por lá

que suavidade nestas palavras envolvidas pelo sentimento do amor

obrigada por partilhares sempre no teu blog poesia de excelente qualidade

beijinhos

lena

Su disse...

como gostei de ler
como é bom adormeçer assim , embalado...por valsas e tangos:)
jocas maradas

susana disse...

lindo =)
este poema é fantástico!!!!

heloisa disse...

UM BELO POEMA E, UMA *AURORA* DE BELEZA IRREAL: COMO E'NATURAL,TODA E QUALQUER, *AURORA BOREAL*!!!
.............................

.........................MINHA AMIGA, AQUI FICA O MEU ABRACO!
SAUDE E PAZ LHE DESEJO, DE CORACAO!
Heloisa B.P.
****************

Vostradeis disse...

Tive a oportunidade de apreciar auroras boreais, durante um ano em que vivi na Finlândia. É algo mágico e o espírito deste poema está no mesmo comprimento de onda. Diria que também já viste, não?

Ah, e obrigado pela visita ao meu blog. Volta sempre.

Acácio Simões disse...

A noite polar é conhecida pelo fenômeno luminoso que se chama "aurora boreal" ou as luzes do norte. A aurora produz-se nas esferas mais altas da atmosfera e ilumina uma boa parte das noites de inverno com uma luz verde-turquesa, que pode atingir a força da lua cheia.
É um espectáculo divinal como divinal é deleitarmo-nos com a poesia e a gravura deste post.
Um abraço

Amaral disse...

Um poema simples, criado com um brilho no olhar e a mansidão do quotidiano transformada no desejo ardente que o amor adora despertar.

Aromas Do Mar disse...

Que poema fabuloso, que imagem soberba e que melodia tão doce.

Vou já lá espreita-lo :)

Bom fim de semana

Beijoka da Lina/Mar Revolto

Pato Marreco disse...

Tudo perfeito:
Poema * Melodia * Sentimentos *
É um prazer passear pelo teu espaço.
Um abraço

Maria do Céu Costa disse...

Foi agradavel aqui encontrar e reler este poema. Beijinhos para a Poesia Portuguesa e ao autor do poema.

Clitie disse...

Que maravilha!!!

Bjk e bom domingo

lique disse...

Só há pouco tempo tomei contacto com o Antonior. Acho uma maravilha a poesia e a arte e a forma como as conjuga.
Beijinhos

Caiê disse...

Amei este blog!
Obrigada por teres passado pelo nosso blog, porque assim nos permitiste vir aqui! Que presente delicado nos ofereceste!


Respondendo às tuas perguntas: sim, sou portuguesa, mas não vivo em Portugal, de momento. Ensino noutro país.
A poesia "O Grito" não é minha... eu só escrevo contos, e creio nunca os ter posto no blog.

Essa poesia, como identifiquei quando a postei, é da autoria da fadista Amália Rodrigues e foi musicada pelos seus guitarristas, acompanhantes usuais dos seus últimos anos de vida. De facto, foi o fado que acabou por ser associado à sua morte, dado ter sido o último composto por ela e falar da dor profunda e derradeira.

Postei-o em homenagem aos meus próprios mortos. A minha "mãe" era grande admiradora da Amália.

Até breve e marraditas da Gata Preta!

marcia cardeal disse...

Para comentar adequadamente, basta um olhar em silêncio. Palavras seriam vãs. Abraço.

alentejodive disse...

Aqui estou a retribuir a amável visita lá no Atribulações.

E ainda mais as palavras amigas, que acabam sempre por nos dar a entender que o que escrevemos até tem algum sentido.

Quando entrei, hoje, e pela primeira vez neste blogue, senti uma atmosfera sensual, calma, para o que muito contribui a musica que se ouve ao fundo.

Embora pouco dado à poesia, mais uma das minhas graves faltas, o que é que se há-de fazer?, fico a saber que, neste espaço, me vou sentir bem.

Vai já para os tais Favoritos, mais nada (pode ser, não pode?)

Saudações alentejanas.

Susana Barbosa disse...

Muito obrigada pela visita. Adorei passar por aqui!

wind disse...

Belo poema. Linda esta declaração de amor:) beijos

Anónimo disse...

O(s) seu(s) blog(s) continua(m) belo(s).

lazuli disse...

Belissimo blog, a condizer com os restantes

Ana Maria disse...

um poema bonita permite visualizar imagens linda e sentimentos que todos passam por eles.
obrigada pelo comentário no meu cantinho.

sandra m. disse...

Este é um dos melhores poemas que já lhe li. Ele tem muito talento. Obrigada por o teres trazido até aqui.
beijos

T. disse...

Rendo-me: mais um que não conhecia! :-)

Seguirei o link, de imediato.

Mui, mui grata.

Excelente semana. Beijinho.

Rosmaninho disse...

Gostei muito de aqui estar!Este último poema é Lindo! Música Linda!
Continue, voltarei mais vezes.

maresia_mar disse...

que linda forma de falar do adormecer. Belo e cheio de conteudo este poema, que não conhecia. Quem já não teve noites assim? prometo voltar menos apressada.. obrigado por me ter dado a conhecer este autor.. bjhs

douglas D. disse...

diversas são as formas de adormecer...e as manhãs, as manhãs nunca são as mesmas.

Elsa disse...

Passei só para te deixar um beijinho de boa semana.
Bjs

Micas disse...

Vim agradecer a visita, aproveitando para dar um passeio por aqui. Não conhecia este espaço, gostei imenso do que vi e voltarei de certeza. Vou linkar, posso?
Boa semana :)

Vagabundo disse...

Um principio com "tons" que rondam o alucinogénico para terminares com "tons" que são como música... acho eu!Gostei!
Fica Bem
Vagabundo

Manel do Montado disse...

Ronda da noite,

Auroras boreais é na península de Kola, no norte da Rússia, acima dos 65º de Latitude Norte.
Tive a felicidade de ver ao vivo, é extraordináriamente belo.
Quanto ao poema claro que gostei, mas só uma pergunta:
Já experimentaste um copito de um bom vinho perto da hora de deitar, não há Xanax que o valha.
Beijo de boa semana.

Adryka disse...

Mas isto é um poema maravalhoso adorei ler, como seria bom sentir tudo isso, menos a do xanax.
beijokas

batista filho disse...

Maravilha!

Elise disse...

passe aqui para deixar um jinho.

Fernando Rozano disse...

Poema forte, traz a noite e o adormecer, mas é no amanhecer que realmente adormecemos. abraços

cm disse...

nao conhecia, mas gostei da descoberta...um abraço

luís disse...

olá. o meu nome é luís brito pedroso e só agora descobri este blog. adianto-vos que vai ser lançado no dia 19 de dezembro o meu 1º livro de poemas, intitulado "poema seis"

entretanto, façam-me uma visita!

Thiago Forrest Gump disse...

Belo como uma tarde de Outono!

Thiago Forrest Gump disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Aromas Do Mar disse...

Passei para te deixar um beijo e um sorriso, aproveito releio mais uma vez a poesia maravilhosa que nos presenteias e embalo ao som da melodia.

Lina/Mar Revolto

Isabel-F. disse...

Lindo poema.
Gostei de ler.

Beijinhos

Lumife disse...

Luto com o Tempo, que me não dá tempo, para em oportuno tempo vos visitar.
Por isso venho, reconhecidamente, agradecer aos que passam e comentam nos meus blogs.
Também quero saudar os que, talvez como eu, não tenham tempo para me visitar.

Abraços para todos