quinta-feira, dezembro 29, 2005

Revisitando O NATAL...



Natal
É ser
É nascer
É dar-se
Dar-se é ir de porta em porta
com uma mensagem
de flores no sorrir
e estrelas nos olhos.
Uma ponte de palavras
formada
entre ti e os outros,
construída, encontrada
entre a vida, o amor e a morte.
Natal
é seres, em cada dia, não de ti, mas de todos.
Universo novo não planeado,
não programado, mas vivido e amado,
num desejo constante de ternura-dádiva, de fraternidade.
Natal é ser criança cada dia em cada ventre de mulher. 

Todas as mulheres
TUA MÃE



Poema de TMara
in Círculo de Poesia



Imagem Pessoal da autora do Blogue

17 comentários:

  1. Oláaaa! Vim conhecer esse cantinho de maravilha, e que enfeita o nosso mundo virtual... Aqui é lindissimo... Muito lindooooo mesmo! Entrei aqui pelo blog de amigos... Estarei sempre pra uma nova visita! Bjs no coração!

    ResponderEliminar
  2. Que em 2006 sejamos atentos às palavras do poeta.
    Grande e fraterno abraço.
    Manoel Carlos
    http://www.agrestino.blogger.com.br

    Quem Morre

    Morre lentamente quem não viaja,
    quem não lê, quem não ouve música,
    quem não encontra graça em si mesmo.
    Morre lentamente quem destrói o seu
    amor-próprio, quem não se deixa ajudar.
    Morre lentamente quem se transforma
    em escravo do hábito, repetindo todos
    os dias os mesmos trajetos, quem não
    muda de marca, não se arrisca a vestir
    uma nova cor ou não conversa com
    quem não conhece.
    Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.
    Morre lentamente quem evita uma
    paixão, quem prefere o negro sobre o
    branco e os pontos sobre os "is" em
    detrimento de um redemoinho de
    emoções, justamente as que resgatam
    o brilho dos olhos , sorrisos dos
    bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.
    Morre lentamente quem não vira a mesa
    quando está infeliz com o seu trabalho,
    quem não arrisca o certo pelo incerto
    para ir atrás de um sonho, quem não
    se permite pelo menos uma vez na vida
    fugir dos conselhos sensatos.
    Morre lentamente, quem passa os
    dias queixando-se da sua má sorte
    ou da chuva incessante.
    Morre lentamente, quem abandona
    um projeto antes de iniciá-lo, não
    pergunta sobre um assunto que
    desconhece ou não responde
    quando lhe indagam sobre algo que sabe.
    Evitemos a morte em doses suaves,
    recordando sempre que estar vivo exige
    um esforço muito maior que o simples
    fato de respirar.
    "Somente a perseverança fará com que
    conquistemos um estágio esplêndido de
    felicidade".

    Pablo Neruda

    ResponderEliminar
  3. agradeço o destaque dado ao meu poema sobre o Natal. Bjs de luz e paz ;), BOAS entradas e, globalmente um melhor 2006 num mundo, mais solidário, pacífico e justo @’-,-‘---

    ResponderEliminar
  4. Menina Poesia escolhe coisas lindas para partilhar.
    Um bom ano para ti.

    Bjks

    ResponderEliminar
  5. o ano velho està a findar, que o novo ano te traga muitas alegrias foi o ke vim desejar.

    ResponderEliminar
  6. A TMara merece destaque..adoro o que escreve e nunca me canso de lho "dizer" :-) Beijinhos para ela e um abraço para ti. Um bom ano de 2006.

    ResponderEliminar
  7. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  8. Ainda em ambiente natalício, se aproxima o Ano Novo, para o qual desejo Paz, Saúde, Amor e Qualidade de Vida. Com estas singelas palavras agradeço e retribuo visita ao meu cantinho. Um abraço. Bom Ano!!

    ResponderEliminar
  9. Parabéns à autora, e à Poesia por o ter destacado neste blog.

    -------------
    abraço, tem um feliz ano novo!

    ResponderEliminar
  10. É sempre bom relar a TMara. Seus textos e Poemas, são profundos e inspiradores.
    Desejo à autora, à Poesia Portuguesa, e a todos, um Feliz Ano de 2006, repleto de Amor, Luz, Paz, Saúde e Prosperidade.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Bonito poem de Natal:) Bom ano! beijos

    ResponderEliminar
  12. O poema é lindo....parabéns.
    Que o ano que se aproxima...."Universo novo não planeado," seja um ano repleto de felicidade de paz e amor.
    Para ti um beijo com carinho.
    Parabéns pela poesia, e pelo blog no geral que adorei.

    ResponderEliminar
  13. esta tua ideia de fazeres chegar até nós estes excelentes poemas que "habitam" nos blogs e saíram das mãos e dos corações de tantas pessoas que admiro pelo que escrevem, foi uma excelente prenda de natal, feita de palavras

    só te posso dizer: parabéns

    beijinhos meus, aproveitando para te desejar um Ano Novo muito feliz, que concretizes os teus desejos e 2006 seja um ano com tudo de bom para ti

    lena

    ResponderEliminar
  14. Minha tão querida...
    venho deixar-te um forte abraço,
    venho deixar-te todo o carinho que sinto...obg por todas as coisas bonitas que me foste dizendo.
    Só te posso querer muito bem...
    Um beijinho
    tamanho do mundo.

    ResponderEliminar
  15. Vim do teu comentário no meu cantinho...Que é isso, "poesia?"... Queres que eu chegue a 2206?... lol
    A Tmara esteve inspiradíssima nesse poema! A sua "ponte de palavras" leva-nos ao desejo de tentarmos melhorar o nosso dia-a-dia, o olhar do mundo, a vida no nosso planeta!...
    Festas Felizes!

    ResponderEliminar
  16. Só venho mesmo agradecer a visita e os votos de Bom Ano Novo.
    E, naturalmente, desejar-te também um 2006 recheado de coisas boas.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  17. OLá eu sou a rafaela e gostei imenso do poema , será que me podes enviar para o e-mail : rafitamart@hotmail.com

    Eu ñ vou fazer nada com ele é só para ler em Português , isto é para um trabalho... Obrigada e que tenhas um Feliz Natal e Ano Novo...

    Jinhos

    ResponderEliminar

Caros visitantes e comentadores:

Obrigada pela visita... é importante para cada um dos autores da poesia constante deste blogue que possas levar um pouco deles e deixar um pouco de ti… e nada melhor que as tuas palavras para que eles possam reflectir no significado que as suas palavras deixaram em ti.

E porque esta é uma página que se pretende que seja de Ti para TODOS e vice-versa, não serão permitidos comentários insidiosos ou pouco respeitadores daquilo que aqui se escreve.

Cada um tem direito ao respeito e à dignidade que as suas palavras merecem. Goste-se ou não se goste, o autor tem direito ao respeito da partilha que oferece.

Todos os comentários usurpadores da dignidade dos seus autores são de imediato apagados.

Não são permitidos comentários anónimos.
Cumprimentos,