domingo, janeiro 01, 2006

Não vamos fingir por ser Natal...


Presépio de lata in Que bem cheira a Maresia


já não tocam os sinos
nem cantam as vozes
agora suplicam crianças
e adultos
todos querem
querem prendas
e esperam dádivas
não rezam
nem demonstram fé
consomem
consomem o que não querem
o que não lhes serve de nada
desejam tudo
tudo o que vêm
cobiçam com olhares
depois compram
compram tudo
movidos pela vaidade
e pela alienação
parecem saqueadores
talvez o sejam
dos seus próprios tesouros
depois discutem
pelo meio falam em paz
mas discutem
de tanto consumir
de tanto desperdiçar
discutem
até ao fim discutem
por vezes ainda se dão conta de si
nessa altura são solidários
são altruístas
e redentores
querem ser deuses
heróis do seu próprio ego
basta-lhes vencer por um dia
no que será um desejo comum
depois esquecem
seguem os seus rumos
como se tudo fosse apenas um sonho

Poema de José Gomes Ferreira


Nota: O autor deste Poema José Gomes Ferreira, é homónimo de um Grande Poeta Português José Gomes Ferreira, e é titular de um Blog a conhecer o Labirinto de silencios

13 comentários:

wind disse...

Poema que retrata a realidade do consumismo do natal. beijos e bom ano*

Lumife disse...

Regressei às lides blogueiras o que quer dizer ao convívio dos amigos.

Agradeço, sensibilizado, os comentários amáveis, os votos implícitos e os parabéns pelo nascimento da minha neta Carolina.

Retribuo esses gestos de amizade desejando um Feliz Ano 2006 extensivo à Família.

Irei a pouco e pouco pondo a leitura em ordem.

Beijos

Heloisa B.P disse...

"NAO VAMOS FINGIR", NAO!!!!!
............................
Porem, nao precisamos "FINGIR", para dizer que e' BELISSIMO_O PRESEPIO! O POEMA! E...O SOM DE FUNDO!!!!!!!!Alias, eu adoro este SOM!
EXCELENTE NOVO ANO, num crescendo a caminho da FRATERNIDADE e..."SEM FINGIMENTOS"!!!!

_Tentarei voltar mais vezes!
Por certo, ficarei a "ganhar"!!!!!
SAUDACOES AMIGAS!
Heloisa B.P.
**************

José disse...

Olá! Não tem problema, até bom partilhar identidades através de palavras, para além disso está devidamente citado. Votos de um 2006 cheio de alegrias...

Jorge Moreira disse...

Maravilhoso este poema que retrata a sociedade contemporânea ocidental... sem valores...

Isabel-F. disse...

Querida Amiga,

Neste início de ano vim desejar-te uma boa semana e o melhor para 2006.

Bjs.

Maria do Céu Costa disse...

Muito atento este poema, à realidade das sociedades. Poesia Portuguesa um bom inicio de ano!

dulce disse...

Um bom ano para ti. Encontramo-nos por aqui.
Beijos.

lena disse...

mais um belo poema, retrata bem a sociedade, tens excelentes escolhas Poesia Portuguesa e uma vez mais parabéns, esta ideia de trazer até aqui poemas de natal de vários blogs é linda

beijinhos meus e virei ler mais e mais

lena

romero disse...

Representaciones sociales o acerca de las muchas y variadas formas de imaginar,
percibir y configurar el mundo y la sociedad en que vivimos :)

Feliz año nuevo :)

besitos

maat disse...

Feliz ano Novo!



beijinhos,

***

maat

Paula Raposo disse...

Um poema muito belo. Vou conhecer o autor. Beijinhos

Rui @t Blog disse...

Poema bem escolhido e que retrata a realidade, infelizmente.