domingo, janeiro 22, 2006

Um breve olhar...

Imagem daqui


Lá em cima, no ar
Sobre a monotonia de estas casas
Sulcando, sereníssimas, os céus,
Abrem a larga rima das suas asas,
Lenços brancos do azul, dizendo adeus
Ao vento e ao mar.

Eu fico a vê-las
E meus olhos, de as verem, vão partindo
E fugindo com elas;
E a segui-las eu penso,
Enquanto o olhar no azul se espraia e prega,
Que há uma graça, que há um sonho imenso
Em tudo o que flutua e que navega…

Para onde se desterram as gaivotas,
Contra o vento vogando, altas e belas,
Essas voantes e pairantes frotas,
Essas vivas e alvas caravelas?

Vão para longe… E lá desaparecem,
Ao largo, por detrás do monte;
E os nossos olhos olham e entristecem
Com as vagas saudades que merecem
As coisas que se somem no horizonte!

(In "Canção do Vento" de Afonso Lopes Vieira)

…porque há momentos em que nos faltam as palavras, esta é a forma de expressar o meu reconhecimento e afecto a todos aqueles que mantiveram a chama acesa neste blogue, enquanto recuperava da lesão que me afectou…

OBRIGADA

20 comentários:

Thiago Forrest Gump disse...

Ainda ontem escrevi sobre "recolhimento".

Há várias formas, cada uma de acordo com seu propósito! :)


Fique bem.

dulce disse...

Olhar o horizonte e nunca perder a esperança na alvorada de um novo dia.
Beijos para ti.

Allan Robert P. J. disse...

Encontrei seu blog por acaso a partir de outros blogs, um vício que desenvolvi e que parece estar piorando: navegar de blog em blog, olhando, rindo, aprendendo...
Belo poema, visual elegante e sóbrio, deste seu blog. Espero voltar.

Um abraço,
Allan

Manel do Montado disse...

Como já sei que felizmente estás de regresso, vim aqui também a esta casa que é tua atirar-te uma pedrinha à janela para te dizer que passei aqui e senti-me bem.
Rápida recuperação e um beijo.

wind disse...

Bonito poema e linda ilustração. As tuas melhoras:) beijos

Su disse...

gostei de ler. gostei
melhoras, é bom ter-te aqui
jocas maradas

T. disse...

Bom ver-te de volta, já recuperada.

Há tanto, tanto tempo que não lia Afonso Lopes Vieira. Obrigada.

Beijinho

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

Fico muito contente por teres voltado.
Deixo votos de uma boa semana.
Bjx

Cristina disse...

Estou contente por teres voltado, só significa que estás a recuperar.
:)
beijinhu com carinho

Isabel-F. disse...

beijoka para ti...

e feliz por te ver de regresso.

Maria Costa disse...

Seja bem regressada à Poesia Portuguesa. Beijinhos.

Anónimo disse...

FICO FELIZ POR VOLTAR E NATURALMENTE POR FICAR A SABER QUE ESTÁ MELHOR


A.H.

Carlos Ferreira disse...

Congratulo-me muito com o teu regresso ao nosso convívio, primeiro pela recuperação do teu bem-estar e depois porque me sinto particularmente feliz ao visitar o "Portuguesa Poesia".
Abraço
CF
"Garatujando"

Thiago Forrest Gump disse...

É preciso saber diferenciar o "ver" do "olhar".

Beijinhos

Paula Raposo disse...

As gaivotas...Beijos, boa recuperação.

Amaral disse...

A poesia portuguesa fica sempre mais rica, quando se tem oportunidade de ler poemas destes. "Lá em cima", ALV canta maravilhosamente ao vento e contra o vento…

Pink disse...

Poema lindo, lindo! Com imagens belas de se lerem e imaginarem ...
A ilustração é fantástica!

Um beijinho e bem vinda de volta!

Leonoretta disse...

ola marota. qual lesao?
espero que nao tenha sido grave.
adorei o teu poema como sempre. a imagem é espectacular.
beijinhos e volta em força

Zeak disse...

Obrigado pela forma como dás a conhecer os poemas do Afonso Lopes Vieira.
Eles vão estar no PLagiadíssimo para dar aos outros o que nos dás a nós.
Fica bem

sp disse...

" Voa bem mais alto, livre sem alforge, sem prata nem ouro...
amando este mundo, esta vida que é campo...
e esconde um tesouro"...
parabens gostei de ler...