segunda-feira, fevereiro 27, 2006

Boneco Desfeito...

Imagem daqui


Surgiu no palco, um dia um bailarino,
Surgiu soberbamente nu, - jogando
Nas mãos ageis de clown e de menino
Cem máscaras rodando, rodopiando...

Sobre um décor violento e sibilino
Cegamente bailou, tombou bailando,
Como se mais não fora seu destino
Que os eu bailado altivo e miserando.

No palco jaz agora um mutilado:
Jaz morto e nu, decapitado, olhado
Por milhões de olhos sem pudor nem vista.

...Que as máscaras sem fim que ele jogara
Não eram mais, talvez, que a própria cara
Dum desgraçado e humano ilusionista!


(Poema de José Régio)

18 comentários:

  1. Consegues sempre surpreender-me! E olha que não é fácil não...
    Uma beleza de poema e imagem.Bjs

    ResponderEliminar
  2. Algumas dezenas de blogonautas já visitaram a Geração VN e a História e Património da cidade alentejana de Vendas Novas.

    Visitem-nos também. Passem por lá!

    Até já!

    ResponderEliminar
  3. José Régio e um soneto com máscaras que, de Carnaval, nada têm. Um palco, um bailarino, um humano ilusionista…

    ResponderEliminar
  4. Um poema triste sem dúvida, nunca o li e agora já sei :)

    Grata por mostrares poesias que haviam perdidas na temporalidade da história e recomendaste o caminho para todos nós que o lessêmos.

    Bjokitas para ti, Menina-Marota

    P.S-» Desculpe a minha ausência

    ResponderEliminar
  5. Não conhecia. Gostei muito!
    A imagem está espectacular.
    Sempre muito bom gosto!
    Bjinho

    ResponderEliminar
  6. nunca tinha lido José Régio. Gostei. :)

    ResponderEliminar
  7. Ai as máscaras, não convém muito jogar com elas...

    ResponderEliminar
  8. A divulgação do que há de melhor qualidade na poesia, seja de autores consagrados ou não, faz-nos aplaudir esse sítio. Parabéns.

    ResponderEliminar
  9. ola otilia. está tudo bem contigo?

    as tuas publicaçoes revelam bom gosto.

    tanto na escolha das imagens como na obra dos nossos poetas.

    josé régio... um senhor de se tirar o chapéu.

    beijinhos da leonoreta

    ResponderEliminar
  10. Não conhecia, mas obrigado por mo dares a conhecer pois adorei :)

    As máscaras, que não caiem, criam ilusões...

    Bjx

    ResponderEliminar
  11. José Régio grande poeta mas a quem por vezes não é dado o devido valor e reconhecimento(como outros) bj*

    ResponderEliminar
  12. muito bonito. e verdadeiro também.
    eu gosto particularmente da poesia de josé régio. beijinho

    ResponderEliminar
  13. José Régio toca-me pela perfeição e tu revelas sempre bom gosto nas tuas partilhas, tanto nos poetas que nos ofereces a ler, como nas lindas imagens que acompanham os seus poemas

    adoro-te por seres assim excelente no que tocas


    beijinhos doce menina


    lena

    ResponderEliminar
  14. Parabens pelo optimo blog,é bom saber k se da valor ao que é escrito em Portugal. Continua o bom trabalho.

    ResponderEliminar
  15. Que poemas lindo, visite meus poemas..um grande abraços; http://marcialimamp.blogspot.com/

    ResponderEliminar

Caros visitantes e comentadores:

Obrigada pela visita... é importante para cada um dos autores da poesia constante deste blogue que possas levar um pouco deles e deixar um pouco de ti… e nada melhor que as tuas palavras para que eles possam reflectir no significado que as suas palavras deixaram em ti.

E porque esta é uma página que se pretende que seja de Ti para TODOS e vice-versa, não serão permitidos comentários insidiosos ou pouco respeitadores daquilo que aqui se escreve.

Cada um tem direito ao respeito e à dignidade que as suas palavras merecem. Goste-se ou não se goste, o autor tem direito ao respeito da partilha que oferece.

Todos os comentários usurpadores da dignidade dos seus autores são de imediato apagados.

Não são permitidos comentários anónimos.
Cumprimentos,