segunda-feira, março 20, 2006

A Morte do Poeta...


Imagem de autor desconhecido


Espalham-se os guardas, as milícias
e vibram as sirenes estridentes.
Pelas ruas farejam cães-polícias:
procuram o Poeta entre as gentes.
Todos sabem que ele é um subversivo
temido, perigoso cadastrado
que afirma o direito de estar vivo
e de andar vertical por todo o lado.

Procuram nas notícias dos jornais
a cara do Poeta fugitivo
tentando descobrir alguns sinais
que o tornem, desde logo, conhecido.

Na rádio, na TV, noticiários
já lançaram apelos lancinantes
pedindo que se evitem riscos vários
de infecção com versos delirantes.

A cidade agitada, no pavor
de se envolver em tal epidemia,
não deixava que alguém fizesse amor
porque o Amor, às vezes, contagia...

Deixaram as pessoas de sorrir,
aos jovens proibiu-se namorar,
os músicos deixaram de se ouvir,
os pássaros pararam de cantar.

Impediu-se o luar de aparecer
p'ra não alimentar o romantismo.
Proibiu-se ao Homem e à Mulher
a mínima atitude de erotismo.

Decretou-se que o Dia era cinzento,
foi imposto o silêncio por decreto,
ergueu-se à Tristeza um monumento,
aboliu-se a Ternura e o Afecto.

O Poeta, acusado de loucura,
na solidão mais densa se escondia
refém de si mesmo e da amargura
que a Verdade nos outros produzia.
Apareceu então à luz do dia
com o rosto tingido de ternura.
Dois tiros acertaram no seu peito
matando a loucura em pleno dia.
Mais tarde descobriu-se o que foi feito:

Morreram o Poeta... e a Poesia!

(Poema de Fernando Peixoto in Chave da Poesia)

11 comentários:

Ulisses disse...

olá. venho retribuir a visita. gostei do que vi. um cantinho muito bonito. prometo voltar.
jinhos doces.
Ulisses

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

Muito bonito :), principalmente porque amanhã comemora-se o dia mundial da poesia :)
Veio mesmo a calhar :)
Bjx

aprendiz de viajante disse...

Gosto tanto de me embriagar com as palavras que escolhes para os teus pots... lindo!

kinha disse...

Bom dia. Um beijinho.

DarkMorgana disse...

Ainda bem que sabemos que a poesia nunca morrerá...

Miguel disse...

muito belo

Anónimo disse...

A poesia verdadeira nunva vai morrer, nem os poetas porque ficarão pra sempre no coração da gente!!
Amei este poema! beijus da Sofia

De Amor e de Terra disse...

É muito belo este poema do F.Peixoto; mas é sabido, que apesar do poeta morrer (fisicamente, claro) a Poesia não morre e isso é o que mais importa.
Beijossss
Maria mamede

lico disse...

linda uma poesia sublime adorei

jane disse...

oiee!adorei esse cantim muito lindo e a musika nem se fala tah otimo..

by:jane

Ana Alice disse...

Belíssimo!!!