sábado, março 18, 2006

Voltei...


...ao tema Poesia da Blogosfera.
Um longo caminho tem percorrido o autor do poema que hoje vos apresento.
É pela sua luta, pela força do seu interior, pela sua sensibilidade, que o escolhi para retomar este tema…





Venho dos limites do tempo
De uma galáxia qualquer
Já fui mar, já fui vento
Agora sou pensamento
Aparado em dado momento
No ventre de uma Mulher!

Meu corpo é magistral!
Brutal! Perfeito! Soberbo!
De início não era verbo
Agora sou o verbo ser

Tenho comigo segredos
Segredos do universo
Transporto no corpo recados
Que escrevo em forma de verso.

Venho dos limites do tempo
Não sei o que fui e sou:
Deserto? Nascente?
Já fui Norte, já fui Sul
Pó astral, mar azul!
Luar, estrela cadente.

Eu me vou!
Partirei num cometa qualquer
E serei novamente pôr-do-sol.
Cor-de-rosa, aloendro, malmequer!

Voltei...Já cá estou!
Agora sou pensamento
Nascido em dado momento
Do ventre de uma Mulher!



(Rogério Simões in "Voltei" )
Imagem de autor desconhecido

13 comentários:

  1. "Venho dos limites do tempo
    Não sei o que fui e sou:
    Deserto? Nascente?
    Já fui Norte, já fui Sul
    Pó astral, mar azul!
    Luar, estrela cadente."
    É a complexidade do ser humano dita em poéticas palavras,
    Quantos já fomos?
    Muito bonito!
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. O teu blog foi a descoberta das descobertas na blogosfera... será o meu favoritíssimo!!! Adorei...

    Vou-te seguir...
    Obrigada pela tua visita e bom fds

    ResponderEliminar
  3. [...]Eu me vou!
    Partirei num cometa qualquer
    E serei novamente pôr-do-sol.
    Cor-de-rosa, aloendro, malmequer![...]

    Sim, a beleza destes passeios, fazem-me ver o mundo sob outros olhos.
    Espero q vc esteja bem.

    Beijão

    ResponderEliminar
  4. gostei muita da sua escolha.
    Parabéns a ambos.


    Bom fim de semana,

    ***maat

    ResponderEliminar
  5. Ainda não consegui fazer um link para aqui... não entendo a razão! Gosto mesmo muito do teu blog...

    ResponderEliminar
  6. bom domingo.


    http://explicacaodachuva.blogspot.com

    ResponderEliminar
  7. Olá!
    Um poema muito bonito.
    Muitos Parabéns pelo teu blog.
    Fiquei fã.

    Bjs.

    M.M.

    ResponderEliminar
  8. Oi!
    (adenda)Obrigado pela tua visita ao meu blog.


    Bjs

    M.M.

    ResponderEliminar
  9. Atenção...
    O Micróbio mudou de casa. Agora está nesta rua:

    http:\\o-microbioii.blogspot.com

    ResponderEliminar
  10. :)
    Lindo poema :)
    Gostei muito de ler.
    Obrigado pela partilha.
    Bjx e boa semana

    ResponderEliminar
  11. belo poema
    obrigada por voltares a este tema, vou conhecendo poetas, muitas vezes desconhecidos que têm poesia tão bela, excelente e digna de ser divulgada

    gostei muito de o ler


    parabéns querida amiga pela tua sensibilidade na partilha

    beijinhos muitos para ti
    lena

    ResponderEliminar
  12. .....já fui mar, já fui vento, agora sou pensamento, aparado em dado momento, no ventre de uma mulher.......... transporto no corpo recados, que escrevo em forma de verso.........; que bonita forma de expressar o que é a vida, o que somos.....nao há melhores palavras......
    Gostei muito!
    Mischa ( um alemao que é amante da lingua portuguesa)

    ResponderEliminar
  13. Olá!
    Amei esse blog,as palavras das frases,soam como uma música em meus ouvidos.

    Obrigado.

    tempoemtempo.blogspot.com

    ResponderEliminar

Caros visitantes e comentadores:

Obrigada pela visita... é importante para cada um dos autores da poesia constante deste blogue que possas levar um pouco deles e deixar um pouco de ti… e nada melhor que as tuas palavras para que eles possam reflectir no significado que as suas palavras deixaram em ti.

E porque esta é uma página que se pretende que seja de Ti para TODOS e vice-versa, não serão permitidos comentários insidiosos ou pouco respeitadores daquilo que aqui se escreve.

Cada um tem direito ao respeito e à dignidade que as suas palavras merecem. Goste-se ou não se goste, o autor tem direito ao respeito da partilha que oferece.

Todos os comentários usurpadores da dignidade dos seus autores são de imediato apagados.

Não são permitidos comentários anónimos.
Cumprimentos,