segunda-feira, maio 29, 2006

O mundo completo


Imagem de Alex Krivtsov


Estes gestos de vento,
estas palavras duras como a noite,
estes silêncios falsos,
estes olhares de raiva a apertarem as mãos,
estas sombras de ódio a morderem os lábios,
estes corpos marcados pelas unhas!. . .

Esta ternura inventando desejos na distância,
esta lembrança a projectar caminhos,
este cansaço a retratar as horas!...

Amamo-nos. Sem lírios
sobre os braços,
sem riachos na voz,
sem miragens nos olhos.

Amamo-nos no arame farpado,
no fumo dos cigarros,
na luz dos candeeiros públicos.

O nosso amor anda pela rua
misturado ao buzinar dos carros,
ao relento e à chuva.

O nosso amor é que brilha na noite
quando as estrelas morrem no céu dos aviões.

(Poema de António Rebordão Navarro in "A Condição Reflexa")

14 comentários:

  1. A foto é fabulosa.
    Esse nome "Rebordão Navarro", diz-me qq coisa.

    Boa semana

    ResponderEliminar
  2. Estás em força menina!! Vim da tua outra casa maravilhada com aquela musica e encontro aki uma imagem fabulosa!!!! mesmo a condizer com o poema que desconhecia de todo o seu autor. Mas gostei muitoooo

    Beijossssssss

    ResponderEliminar
  3. O amor, na dureza dos dias. Não cheguei a agradecer-te a publicação do meu poema, ali em baixo. Ai, o tempo foge... :)
    Obrigada, amiga. Beijos

    ResponderEliminar
  4. "O mundo completo", eu vou dizer que hoje o meu dia foi completo,
    foi o dia de se sentar e colocar as minhas leituras em dia e sentei-me a ler-te nesta partilha de poemas, onde poetas deste mundo da blosfera nos dão tanto e me enriquecem com os suas partilhas


    não saberia escolher o melhor, são todos de uma grande qualidade,
    alguns já tinha lido, mas ler aqui fez voltar a ter o doce sabor que tive antes e mesmo encanto

    obrigada por manteres este teu cantinho assim, onde prima a boa poesia

    beijinhos muitos para ti e o meu abraço


    lena

    ResponderEliminar
  5. Quando o amor é a unica coisa que persiste e brilha para nós ...
    Beijos para ti.

    ResponderEliminar
  6. O amor pode ser descrito de tantas maneiras, selvagem, vagabundo, doce mas a luz, essa brilha sempre nos olhos de qualquer amante! Sempre escolha de bom gosto, aqui.(sem esquecer todos os poemas anteriores a cujos blogs eu dei uma escapedela e aos quais dou os meus parabens) Bj

    ResponderEliminar
  7. Esse blog é SENSACIONAL. Os poemas maravilhosos, as fotos incríveis...e a música ficou a minha cabeça porque não fechei o blog e a ouvi a madrugada toda. Me fala quem é, porque eu imagino que seja o Marsalis.
    Demais...demais esse cantinho.
    Eu que pensa que conhecia a poesia portuguesa...
    Um beijo

    ResponderEliminar
  8. Obrigada pelas palavras que te mereço (eu não as mereço!) Um abraço!

    ResponderEliminar
  9. muito bonito este poema...

    eu frequento este espaço e tenho lido poemas muito bons...

    este é..

    um abraço

    RPM

    ResponderEliminar
  10. «O nosso amor brilha na noite» é por isso que quando olho o céu à noite, vejo tantas luzes cintilantes, são amores de alguém, brilhando na noite... Bjhs

    ResponderEliminar
  11. Olá Poesia

    Estou de volta! Pelo menos até Julho.

    O meu obrigada pela visita, na minha ausência.

    E muitos Parabéns pela escolha do poema.

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Caros visitantes e comentadores:

Obrigada pela visita... é importante para cada um dos autores da poesia constante deste blogue que possas levar um pouco deles e deixar um pouco de ti… e nada melhor que as tuas palavras para que eles possam reflectir no significado que as suas palavras deixaram em ti.

E porque esta é uma página que se pretende que seja de Ti para TODOS e vice-versa, não serão permitidos comentários insidiosos ou pouco respeitadores daquilo que aqui se escreve.

Cada um tem direito ao respeito e à dignidade que as suas palavras merecem. Goste-se ou não se goste, o autor tem direito ao respeito da partilha que oferece.

Todos os comentários usurpadores da dignidade dos seus autores são de imediato apagados.

Não são permitidos comentários anónimos.
Cumprimentos,