segunda-feira, julho 03, 2006

Hoje apetece...

Imagem do "Vento"




Hoje apetece que uma rosa seja
o coração exterior do dia
e a tua adolescência de cereja
no meu bico de Isolda cotovia.

Hoje apetece a intuição dum cais
para a lucidez de não chegar a tempo
e ficarmos violetas nupciais
com a lua a celebrar o casamento.

Apetece uma casa cor-de-rosa
com um galo vermelho no telhado
e os degraus duma seda vagarosa
que nunca chegue à varanda do noivado.

Hoje apetece que o cigarro saiba
a ter fumado uma cidade toda.
Ser o anel onde o teu dedo caiba
e faltarmos os dois à nossa boda.

Hoje apetece um interior de esponja
E como estátua a que moldar o vento.
Deitar as sortes e, se sair monja,
Navegar ao acaso o meu convento.

Hoje apetece o mundo pelo modo
Como vai despenhar-se um trapezista.
Abrir mais uma flor no nosso lodo:
Pedir-lhe um salto e retirar-lhe a pista.

Hoje apetece que a cor dum automóvel
Seja o Egipto de novo em movimento;
E que no espaço duma gota imóvel
Caiba a possível capital do vento.

Hoje apetece ter nascido loiro
Como apetece ter havido Atenas;
E tu nas curvas rápidas de um toiro.
E eu quase intangível como as renas.

Hoje apetece que venhas no jornal
Como um anúncio. Sem fotografia.
E inventar-te uma lenda de cristal
Para reflectir a minha biografia.



* "Projecto de Bodas", Poema de Natália Correia
in «Poesia Completa O sol nas Noites e o Luar nos Dias»,
 

Publicações D. Quixote, Lisboa*

10 comentários:

  1. Hoje apetece que os teus olhos
    perdidos na maresia do mar
    revejam, na areia, nos escolhos
    água, vento, os meus, para os amar

    Agradeço a passagem e as palavras.
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. A poesia de uma mulhar excepcional. Gostei imenso de a ver aqui neste espaço! A musica e a imagem como sempre de refinada escolha. Adoro esta musica, traz-me recordações lindas!!
    Um beijo cheio de carinho da
    Anita

    ResponderEliminar
  3. Que bom reencontrar as palavras da querida Natália com quem privei no Botequim, Brasileira e outros sitios desde os meus 15 anos até á sua morte. Adorova a sua firmeza e cultura imensas. Ainda bem que se vão lembrando algumas pessoas ainda dela, pois este país enlouquecido pelo futebol tendo a sistematicamente a desprezar o que tem de melhor.
    Beijos
    Teresa David

    ResponderEliminar
  4. Excelente selecção dessa grande Poeta portuguesa.

    ResponderEliminar
  5. Natália num poema que desfia imagens e sentimentos de umja riqueza imensa. Natália como só ela sabia escrever! Adorei.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  6. Tu continuas...nas escolhas de poemas que traduzem bem um cotidiano...que poderia passar desapercebido, não fosse esse dom, que alguns experimentam de mover as palavras com singularidade.
    Eu continuo aqui...

    Beijos

    ResponderEliminar
  7. Estudei Natália Correia quando estive cursando aí Literatura. Tem poesia muito bacana mesmo.Boa escolha essa aí;
    Beijo pra vc

    ResponderEliminar
  8. Um sabor doce (re)ler Natália!...

    amizade,
    jorgesteves

    ResponderEliminar

Caros visitantes e comentadores:

Obrigada pela visita... é importante para cada um dos autores da poesia constante deste blogue que possas levar um pouco deles e deixar um pouco de ti… e nada melhor que as tuas palavras para que eles possam reflectir no significado que as suas palavras deixaram em ti.

E porque esta é uma página que se pretende que seja de Ti para TODOS e vice-versa, não serão permitidos comentários insidiosos ou pouco respeitadores daquilo que aqui se escreve.

Cada um tem direito ao respeito e à dignidade que as suas palavras merecem. Goste-se ou não se goste, o autor tem direito ao respeito da partilha que oferece.

Todos os comentários usurpadores da dignidade dos seus autores são de imediato apagados.

Não são permitidos comentários anónimos.
Cumprimentos,