quarta-feira, setembro 13, 2006

Um Hino à Cidade...

Dedicado a todos os que gostam dela…e em especial aos meus Amigos que lá vivem...

Imagem de A Cidade Surpreendente



Ai esse corpo cidade que a cidade vai abrindo
Esse corpo de ansiedade nas vidas que vão florindo...

Ai esse corpo violado que se esgueira pelas vielas
Esse corpo mal tratado nos corpos deles e delas...

Ai esse corpo almofada sem atavios de riqueza
Corpo de pedra lavrada, corpo de vida burguesa...

Ai esse corpo cidade com traineiras na lonjura
Sempre manhã, sempre tarde, nos braços da noite escura...

Ai esse corpo doçura no amor de quem lhe quer
Esse corpo dedilhado, como guitarra-mulher...

Ai esse corpo de espanto desta cidade brumosa
Todo riso, todo pranto, todo amante ansiosa...

Ai cidade marginal no desespero dos dias
Cidade nobre e leal de muitas democracias...

Ai encanto de pintores, de poetas, doutros mais
De jardins cheios de cores, de tertúlias ancestrais

És cidade toda Povo de manjerico na mão
E és Porto de igualdade em Noite de S.João!...



(Poema de Maria Mamede)

17 comentários:

  1. Lindo hino à minha cidade, de ruas e calçadas duras de granito, ao rio e mar de boas amizades, às pontes e barcos nos braços das neblinas únicas de contos ancestrais! Abraços

    ResponderEliminar
  2. Olá, eu sou fã do site Cidade Surpreendente... lindo este poema!
    Infelizmente vou continuar ausente por uns tempos pois a falta de tempo devido a excesso de trabalho não me permite visitar os meus amigos nem gerir bem o meu blog. Prometo voltar logo que seja possível. Até já e muitos beijos

    ResponderEliminar
  3. PORTISTA DE ALMA14 setembro, 2006 11:40

    Parabéns.
    Excelente escolha de imagem e poema.
    Chamaram-me a atenção para esta página de muito bom gosto e só tenho a agradecer a quem o fez.
    Cumprimentos,

    ResponderEliminar
  4. excelente poema. de uma poetisa de priemiro plano...

    beijos (para as duas)

    ResponderEliminar
  5. Olá meu amigo poeta! Venho agradecer-lhe todo o carinho deixado no amar-ela durante a minha ausência! Do fundo do coração muito obrigada!
    Um abraço amigo da Daniela

    ResponderEliminar
  6. gostei muito do poema. mais uma escolha tua de grande qualidade

    ResponderEliminar
  7. Que linda imagem da cidade. E que belo poema de Maria Mamede, muito no estilo de Ary dos Santos.
    :)
    C.

    ResponderEliminar
  8. Belo post com este hino à cidade que também é minha ... A foto foi igualmente bem escolhida.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  9. Lindíssimo hino à cidade do Porto, mas também da Maria Mamede, tudo é maravilhoso:)
    beijos para as duas*

    ResponderEliminar
  10. A beleza da imagem completa a beleza do poema.
    De passagem e a correr para te desejar um bom fim de semana
    beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Belo hino à cidade.

    Abraços, bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  12. obrigado pala visita ao meu blog, gostei mt dos teus comentários. bj

    ResponderEliminar
  13. Olá Linda, bom dia, quase boa tarde.
    Obrigada pelo meu Hino à minha(nossa) cidade, neste teu Blog.
    Creio que consegui (é claro que com ajuda dum Amigo) finalmente chegar, de vez...
    Espero não me enganar.
    Tem sido um tempo de muita tristeza por não conseguir nem escrever nem estar em contacto com oa Amigos e Amigas, virtuais e não só.
    Obrigada a todoa(as) ainda, pelos comentários, que ajudam a continuar.
    A ti Amiga, um beijo enorme e espero possamos encontrar-nos em breve.
    Maria Mamede

    ResponderEliminar
  14. Escolheste um poema da Mamede de que gosto muitíssimo e uma foto muito bela sobre o rio que abraça o Porto.
    Obrigada pelos teus comentários no meu blog.
    Aparece tenho saudades.
    Um beijão.
    Milú

    ResponderEliminar
  15. não vivo lá, não nasci lá... mas sou sou um pouco dessa cidade...

    ResponderEliminar
  16. mas que saudades desse local e de passear de mãos dadas pela calçada da ribeira do Porto...
    Jinhosssss da Anita

    ResponderEliminar

Caros visitantes e comentadores:

Obrigada pela visita... é importante para cada um dos autores da poesia constante deste blogue que possas levar um pouco deles e deixar um pouco de ti… e nada melhor que as tuas palavras para que eles possam reflectir no significado que as suas palavras deixaram em ti.

E porque esta é uma página que se pretende que seja de Ti para TODOS e vice-versa, não serão permitidos comentários insidiosos ou pouco respeitadores daquilo que aqui se escreve.

Cada um tem direito ao respeito e à dignidade que as suas palavras merecem. Goste-se ou não se goste, o autor tem direito ao respeito da partilha que oferece.

Todos os comentários usurpadores da dignidade dos seus autores são de imediato apagados.

Não são permitidos comentários anónimos.
Cumprimentos,