segunda-feira, outubro 09, 2006

Escadaria


Fonte da imagem: Clarence Signormori

Subo a escadaria
De mármore polido
Até ao topo
Derrapo nos últimos degraus
Quase me estatelo
Equilibro-me a custo
Dum golpe de rins
Bem delineado
Alcançando a muralha
Donde consigo avistar
Aquilo que tu não queres ver
Quando subires
A escadaria de mármore polido
Cuidado nos últimos degraus
Eles escorregam...

(Poema de Paula Raposo in Canela e Erva Doce)

No próximo dia 14 de Outubro às 18.30, será lançado o livro de poesia "Canela e Erva Doce". Mais detalhes aqui

17 comentários:

  1. "Escadaria" é um bom excerto daquilo que poderá conter o livro de Paula Raposo.
    Daqui vão os meus votos de felicidades para o trabalho da Paula que se entrega à poesia com o coração amplamente aberto...

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito do poema. gostava de estar presente no lançamento do livro. Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Com a qualidade da Paula

    Sem defeito!

    ResponderEliminar
  4. POesia Portuguesa

    Parabéns pela escolha do belo poema.

    Parabéns à Paula Raposo pela sua excelente poesia.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. É bonito, é simples, é fácil de ler este «escadaria»... mas há um segredo (o que não gostarás de ver?!) no cimo da escadaria?... Abraço PP, e felicidades Paula.

    ResponderEliminar
  6. Saudações!
    Obrigado por compartilhar um pouquinho de seu espaço comigo
    ::::::::::::::::::::::::::::
    Tenha um Lindo dia
    Cadi
    :::::::::::::::::::::
    Alma da Terra

    ResponderEliminar
  7. Obrigada pela agradável surpresa! A fotografia está genial. Fiquei sem palavras. Muitos, muitos beijos.

    ResponderEliminar
  8. Muito bem escolhido e para além dos bons poemas que escolhes é de louvar a tua procura pela blogosfera de poemas tão belos como os que aqui encontrei...
    Parabéns pela iniciativa e pelas excelentes escolhas....

    ResponderEliminar
  9. Tanto a foto como o poema são deliciosos de ler e ver, e tb em boa hora vi aqui que o livro da Paula Raposo vai ser lançado no Sábado, pois vou tentar ir até lá, uma vez que fomos companheiras do livro "Poesia nos blogs".
    Bjs
    TD

    ResponderEliminar
  10. bem as estilo da "nossa" Paula, bonita escolha da PP, e felicidades para o livro.

    ResponderEliminar
  11. Poema de muita qualidade.
    Chamada de atenção aos degraus que vamos subindo na vida, sendo para os últimos, muita determinação, e equilibrio.
    Vou tentar estar no lançamento da Paula, somos de uma terra banhada pelo mar.

    Beijo
    {{coral}}

    ResponderEliminar
  12. um exclente bailado...

    subir os últimos degraus, requer cautela, de facto...

    ResponderEliminar
  13. Alma de Menino

    Buscando alento prá fugir da ansiedade,
    Olhei pro céu, como a procura de abrigo;
    Pedi a Deus prá me trazer felicidade,
    Então senti que ela já estava comigo.


    Foi quando olhei para as estrelas luminosas,
    E percebi que era feliz e não sabia,
    É que nem sempre a vida é toda cor-de-rosa.
    Mas é mister vivermos bem, sem fantasia.


    Algumas vezes nos achamos reclamando,
    Por coisas tolas, demonstrando egoísmo.
    O ser humano vive se martirizando,
    Talvez por falta de viver com altruísmo.


    Tentar fazer um pouco mais pelas pessoas
    Sem se importar em receber a gratidão,
    Pois quem ajuda já faz uma coisa boa,
    Que lhe enobrece e traz calor ao coração.


    Tudo na vida tem uma razão de ser
    Desnecessário é ditar regras ao destino,
    Porque Deus sabe a hora certa de trazer,
    Felicidade aos que têm alma de menino.

    luiz angelo vilela tannus
    11/01/2006

    sob licença
    creative commons

    2 comentários
    Próxima Anterior

    --------------------------------------------------------------------------------

    ResponderEliminar
  14. Uma boa amostra do que será o livro.
    Parabéns do zé

    ResponderEliminar
  15. A escada da vida numa poesia curiosa; imagem muito adequada.

    ResponderEliminar

Caros visitantes e comentadores:

Obrigada pela visita... é importante para cada um dos autores da poesia constante deste blogue que possas levar um pouco deles e deixar um pouco de ti… e nada melhor que as tuas palavras para que eles possam reflectir no significado que as suas palavras deixaram em ti.

E porque esta é uma página que se pretende que seja de Ti para TODOS e vice-versa, não serão permitidos comentários insidiosos ou pouco respeitadores daquilo que aqui se escreve.

Cada um tem direito ao respeito e à dignidade que as suas palavras merecem. Goste-se ou não se goste, o autor tem direito ao respeito da partilha que oferece.

Todos os comentários usurpadores da dignidade dos seus autores são de imediato apagados.

Não são permitidos comentários anónimos.
Cumprimentos,