sexta-feira, outubro 06, 2006

Estuário d´amor


Imagem de Adriarual


Tatuaste
no teu corpo, a minha
cor
entrando... nos teus poros
corro-te
no sangue...
livre

A alada curvatura do meu seio
Não evita o doce peso dos teus dedos
Um favo, onde se junta toda a doçura – sem receio
Vestes a nudez do meu liso ventre – com segredos

Doce mel do teu olhar desliza...
Pequenas gotas em meus lábios caem
Como palavra absoluta, envolvida na melissa
No íntimo desprender, aquando tocamos – a margem

O teu coração
movendo-se na boca
inaudível dos teus dedos...


(Poema de Betty Branco Martins in Fragmentos)

20 comentários:

  1. belíssimo.. e a música tb..
    saudações..

    ResponderEliminar
  2. _____BOM__FIM DE__SEMANA!
    _____LET__THE__SUN__SHINE
    ______IN___YOUR___SMILE___
    ____8888888888888888888888
    _____88888888888888888888
    _______8888888888888888
    _________888888888888
    ______________**
    ____####______**______####
    ___#######____**____#######
    ____#######___**___#######
    _____######__**__######
    ________#####_**_#####
    __________####**####
    ___________###**###
    ____________##**##
    _____________#**#___________

    ResponderEliminar
  3. Estou encantada com o teu blog. Adoro poesias. O teu está maravilhoso. Estou com vontade de copiar algumas destas poesias para meu blog, posso? Se puderes, visite-me. Meu blog é recente, ainda estou fazendo uns ajustes.

    http://aquarelasdamari.blogspot.com

    Mari

    ResponderEliminar
  4. BELISSIMA A POESIA! E, nao menos BELA a IMAGEM ESCOLHIDA!!!!!

    LINDISSIMO, TUDO* o que estou VENDO E LENDO, por *AQUI*!!!!!

    UM ABRACO!

    Heloisa.
    ***********

    ResponderEliminar
  5. Correr pelo sangue de alguém, boas memórias...

    Abraço, bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  6. Mais uma lindíssima escolha.
    Beijos de bom fim de semana

    ResponderEliminar
  7. Poesia Portuguesa

    Obrigada de coração pelo carinho.

    Um beijo muito grande

    ResponderEliminar
  8. Sou sabedora de que os créditos devem ser dados aos autores, portanto, nenhuma poesia ou aquarela, jamais ficaria sem a autoria, haja vista "A César o que é de César...". Se for desconhecido, será desconhecido. A qualidade não é um questionamento sábio, pois trata-se de atributos que distinguem uma pessoa das outras.

    Obrigada pela visita.

    Mari

    ResponderEliminar
  9. Tatuaste
    no teu corpo, a minha
    cor
    entrando... nos teus poros
    corro-te
    no sangue...
    livre


    uma beleza. igual á imagem que ilustra este poema. de sonho.

    Beijo ambas

    ResponderEliminar
  10. Olá

    poema que nos faz vibrar pela sua beleza.

    Gostei muito!

    Beijos

    Isa

    ResponderEliminar
  11. De uma inaudível beleza, este poema toca-nos em todos os sentidos...:)

    ResponderEliminar
  12. excelente poema. parabéns a ambas...

    ResponderEliminar
  13. eu nunca gostei muito de poesia desde os tempos do liceu, mas agora tenho que dar a mão à palmatória; desde que descobri tua página não passo um dia sem aqui vir ler. A imagem de si só é um poema;um belo enquadramento entre poema e ela.
    beijos da Susaninha

    ResponderEliminar
  14. É a primeira vez que por aqui passo e gostei muito. Voltarei mais vezes.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Olá! Após longa e involuntária ausência aqui estou, de novo, a deleitar-me com o teu blog. Esta última postagem está magnífica: perfeita cumplicidade entre o lindíssimo poema e a sensual imagem.Parabéns! Um bj!

    ResponderEliminar
  16. Agradeço as gentis palavras que deixou no meu blogue e visito mais uma vez com agrado esta interessante página pela sua qualidade. Pode citar e usar estas e outras quadras aqui inseridas, que são do cancioneiro tradicional e regional do Minho e de Paredes de Coura, todas de autor desconhecido obviamente. Muitas delas têm mais de cem anos, pois a minha falecida e querida Mãe já as cantava na década de 1940. Até breve e boa semana.

    ResponderEliminar
  17. Como sempre, faço uma vénia rasgada, sentida e merecida às palavras da Betty e à alma poética que, profundamente, nelas vive.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  18. Sinceramente palavras para quê.
    As palavras voam ao som do vento
    quem as profere mata saudade
    porque pretende revelar a verdade
    prazer que se conquista num real momento.
    Continua e felicidades, são os votos sinceros do amigo antónio.
    Um sentido obrigado pela orientação na criação do meu blog, não tenciono ser concorrente, apenas aceitei a tua sugestão e sinto-me contente.
    O meu blog recente criado em 10/10/2006 é http://tematicapoesia.blogspot.com/
    Quando tiveres oportunidade aprecia-o, não sei se ficará apenas como está ou irei aperfeiçoá-lo, o futuro o dirá. O texto tem um ou outro erro que só no final reparei, não voltará a acontecer.
    Desafio todos os blogistas a consultá-lo apenas para adoçar o paladar da curiosidade.

    ResponderEliminar

Caros visitantes e comentadores:

Obrigada pela visita... é importante para cada um dos autores da poesia constante deste blogue que possas levar um pouco deles e deixar um pouco de ti… e nada melhor que as tuas palavras para que eles possam reflectir no significado que as suas palavras deixaram em ti.

E porque esta é uma página que se pretende que seja de Ti para TODOS e vice-versa, não serão permitidos comentários insidiosos ou pouco respeitadores daquilo que aqui se escreve.

Cada um tem direito ao respeito e à dignidade que as suas palavras merecem. Goste-se ou não se goste, o autor tem direito ao respeito da partilha que oferece.

Todos os comentários usurpadores da dignidade dos seus autores são de imediato apagados.

Não são permitidos comentários anónimos.
Cumprimentos,