sábado, agosto 04, 2007

O discurso do sol...


Aquarela de Gisele


O sol abriu os seus braços
Mostrou o melhor sorriso
E disse:
Da rotina solta os laços
Ganha tino, ganha siso,
Toma o barco da ousadia
E zarpa rumo ao futuro...
Onde há noite, vai ser dia,
Olhar forte, rosto duro,
Sorriso vestindo esperança
À bolina navegando,
Tens o leme da mudança
Na alma... o sonho brilhante,
O mar, é todo bonança,
Vai, e não olhes p'ra trás...
És a coragem que avança
Porto seguro verás,
E... saciado o desejo,
Ancora no meu olhar
Bem doce... te dou um beijo
E... em ti... vou mergulhar!...

(Rouxinol de Bernardim)

18 comentários:

  1. Caro Rouxinol de Bernardim:

    Tomei a ousadia de ir buscar "emprestado" um poema seu, mas como não possui email no blogue, nem caixa de comentários, optei por lhe dizer aqui, se houver algum inconveniente na postagem do seu poema, será de imediato retirado.

    Grata pela partilha.

    Um abraço e bom fim de semana ;)

    ResponderEliminar
  2. Carlos Martins04 agosto, 2007 14:42

    Poema de fé e de esperança, sublimado por uma aguarela sugestiva e por um fundo musical que embala a alma.

    Tudo ao teu habitusl bom gosto.

    ResponderEliminar
  3. um poema encantador e uma imagem fantastica.
    zita

    ResponderEliminar
  4. O tempo está bom para mergulhar no mar... e sonhar.

    ResponderEliminar
  5. Um poema fantástico e uma imagem cheia de luz!

    Boa semana*

    ResponderEliminar
  6. esplêndido quadro num poema mt envolvente.
    gostei de passar por aqui
    um abraçito do joão

    ResponderEliminar
  7. Quem dera essa confiança em meus olhos venha brilhar... quem dera esse meu sol volte a meu caminho iluminar...
    Amei e achei simplesmente, lindo demais!
    Que sua semana seja de grandes realizações! Fique com Deus!
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Gosto muito do Rouxinol, sempre que o leio.

    ResponderEliminar
  9. depois de vir do outro teu lado em que me maravilhei com uma tela lá deixada chego aki e deparo-me com esta deslumbrante aguarela!! Estamos de parabéns todos os que acessam a teu site porque realmente ofereces imagens de grande gosto e sensibilidade. O poema do Rouxinol é belíssimo!!
    Mais um moemento k só tu nos podes proporcionar. Beijokas da Anita

    ResponderEliminar
  10. Rouxinol de Bernardim,

    Bonito o discurso do astro-rei. O teu discurso.

    Parabéns!

    Boa-noite, Poesia Portuguesa!

    ResponderEliminar
  11. O Sol?!... Sem ele o que seria de nós!
    Fica bem.
    Felicidades.
    Manuel

    ResponderEliminar
  12. O Sol por si só já é poesia, mas quando é falado em poesia ainda se torna mais o Astro Rei dos amantes.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  13. olá
    lindo poema de fé e esperança!
    Iupi, finalmente o meu dia está quase a chegar, este fds férias me aguardam.. volto em setembro, até lá não te esqueças de ser feliz! Bjhs

    ResponderEliminar
  14. Passando pra deixar beijinhos e lhe desejar um bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  15. Sinto neste poema a frescura de outro Bernardim que mto gosto o Bernardim Ribeiro.
    Bjs
    Td

    ResponderEliminar
  16. Olá Poesia Portuguesa:

    Só hoje aqui vim e pude constatar de forma tão gratificante a empatia causada em tão ilustres visitantes deste "templo poético"
    que nos fascina e encanta.

    Para mim, modesto aprendiz de poeta, é uma honra saber que há quem aprecie a bela poesia, e sinta o chamamento da Natureza!

    Obrigado por comentários tão encomiásticos. Não mereço tanto.A vossa generosidade não tem limites...

    ResponderEliminar

Caros visitantes e comentadores:

Obrigada pela visita... é importante para cada um dos autores da poesia constante deste blogue que possas levar um pouco deles e deixar um pouco de ti… e nada melhor que as tuas palavras para que eles possam reflectir no significado que as suas palavras deixaram em ti.

E porque esta é uma página que se pretende que seja de Ti para TODOS e vice-versa, não serão permitidos comentários insidiosos ou pouco respeitadores daquilo que aqui se escreve.

Cada um tem direito ao respeito e à dignidade que as suas palavras merecem. Goste-se ou não se goste, o autor tem direito ao respeito da partilha que oferece.

Todos os comentários usurpadores da dignidade dos seus autores são de imediato apagados.

Não são permitidos comentários anónimos.
Cumprimentos,