sexta-feira, outubro 25, 2013

Entardecer

Pôr do sol em Portugal


Agora
Que a grande noite
Está chegando
Por que nos deixámos
De falar?!

Nas trevas da grande noite
O brilho dos nossos olhos
Não se poderão encontrar
Nossas mãos, nossos rostos,
Não se poderão mais tocar

Nossas vozes serão silêncio.

Por que não aproveitar
O claro do vermelho do entardecer
Que nos resta?

E dizermos tudo aquilo
Que devíamos ter dito.


(Örebro – Suécia)

Poema de João Cardoso

6 comentários:

  1. que poema tão belo!

    a imagem muito bem.

    :)

    ResponderEliminar
  2. A qualidade da poesia sempre a primar neste local. Gostei do poema.
    Cptos

    A. Cyrano

    ResponderEliminar
  3. Muito bonito este poema!
    Boa escolha!
    Parabéns ao poeta João Cardoso.
    Bji, querida amiga!
    Manuela

    ResponderEliminar
  4. Palavras muito doces num poema muito lindo.
    E, "Porque não aproveitar
    o claro do vermelho do entardecer
    que nos resta?", quantas vezes nos questionamos ....
    Parabéns poeta João Cardoso.
    Um abraço e uma flor

    ResponderEliminar
  5. http://climapoetico.blogspot.pt/

    Visitem e comentem!
    Cumpriemntos!

    ResponderEliminar

Caros visitantes e comentadores:

Obrigada pela visita... é importante para cada um dos autores da poesia constante deste blogue que possas levar um pouco deles e deixar um pouco de ti… e nada melhor que as tuas palavras para que eles possam reflectir no significado que as suas palavras deixaram em ti.

E porque esta é uma página que se pretende que seja de Ti para TODOS e vice-versa, não serão permitidos comentários insidiosos ou pouco respeitadores daquilo que aqui se escreve.

Cada um tem direito ao respeito e à dignidade que as suas palavras merecem. Goste-se ou não se goste, o autor tem direito ao respeito da partilha que oferece.

Todos os comentários usurpadores da dignidade dos seus autores são de imediato apagados.

Não são permitidos comentários anónimos.
Cumprimentos,