quarta-feira, novembro 13, 2013

Escada de Pedrarias

Pintura de William Blake


Uma escada suspensa no pátio havia
Em pedrarias tecida.

De um lado a relva fofa
Convidativa
No outro o azul da água
Que serena se mexia.

Os pássaros afinavam
Em suaves trinados
Saint-Saens e Stravinsky

Enquanto
Com seus gritos alucinantes
Dançava um fantasma
À luz do dia
Tentando
Retirar da escada a alegria
O brilho das pedrarias.

Nos passos do silêncio da noite
Chegavam o verde-azul das mãos
Que o sorriso lhe estendiam.

Pousava docemente 
E então
Adormecia…




5 comentários:

Amita disse...

Para ti, amiga, o poema em tempos idos, e os meus agradecimentos pela maravilhosa pintura de William Blake com que o valorizaste.
Um bjinho e uma flor

lectorwall disse...

Belo poema. Gostei muito! Bji

Anónimo disse...

http://climapoetico.blogspot.pt/

Visitem e comentem!
Cumpriemntos!

Manuel Pintor disse...

Belo poema,
que se retem
docemente adormecido!

entre o silêncio e a gritaria
uma escada em suspenso
no brilho de uma luz descida
que em repouso se subia

Beijos!

tecas disse...

Sim senhor, divina escadaria!
Amita surprende-nos.
Um beijo para o Blog Portuguesa Poesia e uma flor para a autora.