sexta-feira, outubro 21, 2005

Ainda haverá tempo para um hino?


Imagem daqui


terra de mortalhas
de canalhas
e do gume alucinado das navalhas cruentas dos interesses simulados
pasmo de ódios e de invejas
e dos cínicos pecados que se lavam na água benta e pia das igrejas

e depois da inveja a indiferença
temperada por ganâncias
cobardias
e a terra que nos morre em agonias

arde-nos esta terra
esta mágoa
(e que bem aqui ficavam uns olhinhos rasos de água…
mas o olhar seco de miragens só pelo fumo se destrambelha de lágrimas)

arde a cidade e a aldeia
arde a terra e a vontade
arde o verde de uma ideia
arde o Sol e o luar
há esta ardência no ar que pega até fogo à morte
que lança até fogo ao mar

fica uma raiva no peito
punho cerrado
escorreito
sem saber como gritar

arde nos olhos a urgência de trilhar outro destino
de sarar as cicatrizes que nos cruzam as raízes
deste solo amortalhado

toque-se a rebate o sino
a inventar outro hino só de esperança e de vontade
que num rasgo de ousadia rasgue os muros
rompa os ares
traga nova liberdade.

Poema de OrCa - Jorge Castro



(Lançamento do Livro de Poemas - "Contra a Corrente - poemas que eu digo" de Jorge Costa, no próximo dia 19 de Novembro de 2005 .
Mais informações em
Blog Sete Mares)

29 comentários:

imaginário disse...

Obrigada pela visita. Amante de poesia, fiquei preso ao teu blog, que vai fazer parte das minhas leituras. Parabéns
Beijos

Sulista disse...

Vim aqui tb deixar um
Abraço GrAnde ;-)

Bom fim de semana tb para Ti!

lique disse...

Um dos meus poetas preferidos aqui pelas vizinhanças (sim, que a blogoesfera é apenas uma grande aldeia... ). Um poema de combate, quase de raiva mesclada com sonho, tão característico do Jorge.
Beijinhos,amiga.

Pink disse...

Poema lindíssimo e muito actual... como sempre acontece com a boa literatura. Gosto da nota de esperança~no final: "a inventar outro hino só de esperança e de vontade/que num rasgo de ousadia rasgue os muros/rompa os ares/traga nova liberdade".
Um beijo e bom fim de semana

O Micróbio disse...

Há sempre tempo para uym hino... principalmente para um deste teor... :-)

Lumife disse...

"toque-se a rebate o sino
a inventar outro hino só de esperança e de vontade
que num rasgo de ousadia rasgue os muros
rompa os ares
traga nova liberdade"

e como é necessário tocar a rebate para acordar os espíritos acomodados...

Bom fim de semana

Bjs

romero disse...

"a inventar outro hino..."
no hay que inventar nada :) está álla ya :) un poema encantador.
Me gusta de tu musica:)

Besito

OrCa disse...

Um agradecimento grande à autora deste espaço pela distinção que me faz e pelo gesto de divulgação, tão solidário.
E fico grato, também, a meio caminho entre saber se sou merecedor das referências elogiosas e tão estimulantes e a vontade, daí decorrente, de fazer mais e melhor que possa partilhar com todos.
Contra a secura dos números, saibamos cultivar a arte superior dos afectos... que, depois, os números acompanharão necessariamente.

lena disse...

mais um belo poema que partilhas, já o tenho lido, sim é uma maravilha tudo quanto escreve Jorge Castro escreve

parabéns aos dois, a ti por nos trazeres sempre o teu bom gosto, ao Poeta pelo prazer que nos dá de o lermos

bom fim de semana e um beijo meu

lena

Daniel Aladiah disse...

Querida PP
Gostei muito deste poema.
Um beijo
Daniel

Su disse...

gostei de ler
obgda pela partilha

jocas maradas

Cristina disse...

Gostei muito de ler e com a música ainda se tornou mais lindo
:)
beijinhuu

Maria do Céu Costa disse...

Agradavel este poema, continue com esta divulgação que é digna de nota. Já felicitei o seu autor pelo lançamento do livro. Beijinhos.

lazuli disse...

graças a ti descobri mais um autor

ernesto esteves disse...

Bem postado!
Gostei... Amei! (como dizem os brasileiros)
Deliciei-me pelos versos destes poemas!

Wakewinha disse...

É bom chegar e ler poesia de qualidade e português!

Aproveito para agradecer as palavras de conforto que me deixaste aquando da tua visita!

Um beijinho e boa semana*

Afrodite disse...

Venho eu aqui deixar um beijo e retribuir a tua visita e que vejo?

O nosso genial OrCa, a lique, a Su, o micróbio ... mas estão cá todos os meus amigos!

Já ganhei o dia!
Voltarei.

§(~_~)§ beijo da Afrodite
(uma carinha d'anjo num corpo espectacular, com tudo no sítio, muito dentro do prazo, sem aditivos nem silicones)

titas disse...

os MEUS amigos, quer dizer a delambida da convencida da que dá por nome de afrodite...

Mas... adiante....
Sinto-me demasiado bem nesta casa, não será uma tontinha que me vai estragar o dia.

//(~_~)\\ um beijo da Titas

batista filho disse...

Sempre haverá tempo para
“inventar outro hino só de esperança e de vontade”
... de preferência - ontem!
... no mais tardar – hoje!

Marta disse...

Olá,
Obg pela tua visita.
Gostei muito daqui. Beijo

Elsa disse...

oi! passei pa deixar um beijo de boa semana...
(o blog da Dulcineia não é o pedaços... o pedaços é um projecto de grupo começado pelo Art_of_love... o dela é http://apaixonadapelavida.blogspot.com)
'jocas!!

sandra m. disse...

Lindo este hino. Obrigado por mo fazeres descobrir. Virei muitas mais vezes. Até lá!

susana disse...

fantástico

amita disse...

Fabuloso este poema. Parabéns Jorge Costa, parabéns a ti pela escolha. Bjinhos

Anónimo disse...

Uma correcção: O poema é do Jorge Castro

Anónimo disse...

E o livro Contra a Corrente também.

andanças disse...

...muito bonito o seu blogue com o qual me identifico..gostava de saber sentir como sente para construir assim umas imagens com palavras escritas..fico fâ e virei muitas vezes ler aqui poesia.
sobre o poema d Jorge Castro, vem no seguimento do que ele escreve, e de quem sou amigo, pena tive falhar o lançamento do seu livro na semana passada mas era sabado e tinha minha filha de 9 anos comigo de fim de semana.
fique feliz e obrigado por fazer este bonito blogue. Continue
Luciano Leal

algarvio disse...

mto bom

Anónimo disse...

intiresno muito, obrigado