sábado, novembro 05, 2005

Vade retro


Gostava de falar sobre um rio
Mas só o sei descrever revolto e agitado.
Gostava de escrever sobre as nuvens
Mas só as digo quando cinzentas
Carregadas de tempestade.
Gostava de encantar com a beleza das flores
Mas as que gosto
Não estão expostas em montras de floristas
Nascem selvagens rasgando rochas áridas, infecundas.
O azul transparente do rio
A leveza da nuvem/algodão que flutua
A beleza da flor domada
Deixo para os outros
Que falam disso bem melhor que eu.
Eu dou o outro lado
O rio revolto, a nuvem carregada
A flor única, a rocha infecunda.
Exorcizo-me em tentativas de poemas
Construo espanta-espíritos de palavras
Desnudo-me em frases incompletas
Poemas pequenos de pessoa pequena.
Não sei fazer rendilhados de palavras
Tecer poemas perfeitos
Usar figuras de estilo
Metáforas, métrica e rima.
O que sei é isto
Fazer das palavras um "vade retro"
Ousadia, provocação, amor, luta
E acabar assim cansada
Vazia, desfeita
Como se tivesse sido desbravada
Vencido uma batalha
Ou acabado de fazer amor.

Poema da Encandescente in Erotismo na Cidade
Com a devida autorização
(Foi editado o Livro de Poemas - "Encandescente"
Mais informações no Blog da
Autora)

24 comentários:

lena disse...

mais um lindissimo poema que nos trazes hoje
vem carregado de muita força. perfeito a palavra que consigo dizer

beijinhos meus

lena

paper life disse...

Boa Escolha! :) É um dos poemas de que muito gosto da Evanescente.

;) Bj BFS

Carlos disse...

O BEIJO
Sulla

O beijo desejado que me completa,
de forma adequada com o sabor do desejo,
na flor da minha pele e da minha vontade.

Traz para o meu pensamento,
o beijo que faz a minha boca
e meu corpo querer um novo beijo,
O beijo sem tempo.

O beijo que dura um tempo ou que demora pouco,
não conte o tempo do beijo,
enquanto se beija o tempo para, o tempo freia.

Só sinto a louca vontade de mais um beijo.
Sinto neste encontro um passeio suave e excitante,
umedecendo minha alma
e que me acarinha os meus lábios.

O beijo que me percorre,
que me navega e que me deseja...
beijo desejado e amado

jocapoga disse...

obrigado por me recordares a encadescente
bjos

adesenhar disse...

mais uma vez avivas a minha memória com um poema da Encandescente.
quanto ao livro ainda não tive oportunidade de encomendar, a seu tempo o farei... é um livro que merece ser desbravado. Nada melhor para este lançamento que uma capa com um texto original que tanta polémica criou.Ainda bem que tudo acabou em bem.

esquisso: Obrigado pela visita ao meu humilde cantinho.Como é norma da casa, a porta está sempre aberta :)é só entrar nem que seja apenas para deixar um sorriso ... :)

marakoka disse...

gostei do poema
gostei da imagem
gostei
jocas maradas

Aromas Do Mar disse...

Olá, boa noite. Venho aqui ler e ver e ouvir... e tudo me agradou imenso. Sinto-me lisongeada com o teu convite e gostaria que sim, fosse de tua escolha a composição total para um texto meu. Gostaria, no entanto de te dizer também que o blog é composto por duas pessoas, Mar Revolto e Mar Azul(eu), embora os poemas sejam de autoria individual as imagens e musicas que os acompanham são escolhidas em conjunto.

Um beijo com a certeza de que cá voltarei muitas vezes.

titas disse...

Ó minha querida,

Tu desculpa-me a confusão em que eu andava! Eu tinha-te com mil nomes... Agora a casa está em ordem!

Vou também passar pela casa da encandescente. Uma poetisa notável!

Para ti, minha amiga,


//(~_~)\\ um beijo da Titas

(a música é linda)

Afrodite disse...

Também eu andava toda 'confucionada'....

A Encandescente é uma das minhas fontes preferidas.

Para ti, Menina Bonita

§(~_~)§ beijo da Afrodite

Thiago Forrest Gump disse...

Post interessante. ;)

lazuli disse...

já te disse..quanto gosto de vir aqui?

lena disse...

gosto de vir aqui e reler

beijinhos

lena

Cristina disse...

Poesia,
Adorei o poema, a foto é lindissima, e a música completa tudo
:)
muito lindo, parabéns
:)
beijinhuu

Elise disse...

Louvável a tua missão de divulgar o que temos de bom!

Abraço

batista filho disse...

A brisa transforma-se num vento tempestuoso. O rio calmo é o mesmo que a tudo e todos leva de roldão... Verso e reverso?... d'uma só moeda... As flores?! nascidas nos pântanos, em meio às pedras ou jardins orientais - conservam a sua essência... Os versos?... sabes deles, mui bem.

Maria do Céu Costa disse...

Boa combinação entre a imagens e a mensagem que o poema transmite. Mais uma boa escolha. Cumprimentos.

MWoman disse...

Merecido livro esse da Encadescente que finalmente foi editado!
Beijo. :)

Aromas Do Mar disse...

Obrigada pela tua visita e pela distinção.
Por mim deixo nas tuas mãos toda a composição :)

Boa semana

Beijo da mar revolto

Daniel Aladiah disse...

Querida PP
Diria: bem-vinda poesia...
Um beijo
Daniel

cm disse...

doiem as palavras com almas dentro..outras soltam-nos na brisa lavada de maresia...obrigado

Amaral disse...

Poema que dá e recebe! Não um qualquer cansaço enfadonho, mas uma provocação benvinda e calma. Como uma batalha vencida!

susana disse...

muito bom! escolha soberba de poemas....

keep going

amita disse...

Um belíssimo poema com uma escrita forte e certa. Parabéns pela escolha a imagem é linda. Bjinhos

Pamina disse...

Obrigada pela visita que fizeste ao meu sítio.
Gostei da selecção de imagens e poemas.
Boa semana e um beijinho.