terça-feira, fevereiro 14, 2006

Primaveras Românticas...




Eu sou a concha das praias
Que anda batida da onda
E, de vaga em outra vaga,
Não tem aonde se esconda.
Mas se um menino, da areia
A colher e a for guardar
No seio... ali adormece
E é ali seu descansar.
Pois sou a concha da praia
Que anda batida da onda...
Sê tu esse seio infante,
Aonde a triste se esconda!

Eu sou quem vaga perdido,
Sob o sol, com passo incerto,
Contando por suas dores
As areias do deserto.
Mas se um palmar, no horizonte,
Se vê, súbito, surgir,
Tem ali a tenda e a fonte
E é ali o seu dormir.
Pois sou quem vaga perdido,
Sob o sol, com passo incerto...
Sê tu sombra de palmeira,
Sê-me tenda no deserto!

Sou o peito sequioso
E o viúvo coração,
Que em vão chama, em vão procura
Outro peito, seu irmão.
Mas se avista, um dia, a alma
Por quem andou a chamar,
Tem ali ninho e ventura
E é ali o seu amar.
Pois sou quem anda chorando
À procura dum irmão...
Sê tu a alma que me fale,
Inda uma hora ao coração!


(Poema de Antero de Quental )


Imagem enviada por email, de autor desconhecido

23 comentários:

  1. Tenho passado por aqui quase diariamente, pelo prazer de reencontrar a bos poesia portugursa.Continue, que vai bem.Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Belo Poema e bem "encenado".
    Pus a escrita em dia como soi dizer-se e aqui me regalo com muito boa poesia. Bem hajas.
    Bjinhos Ricky

    ResponderEliminar
  3. Bem escrito. como sempre, carregada de emoção. :)


    Abraços

    ResponderEliminar
  4. que bom ter-te aqui de novo e com um poema tão belo, que momentos bons de poesia nos ofereces, querida amiga

    um beijo meu e um abraço cheio de trenura

    lena

    ResponderEliminar
  5. Dei uma breve visitinha pelo teu blog e gostei do que li :) Um obrigada pela tua visita no meu blog :) Um beijo.

    ResponderEliminar
  6. Já algum tempo que não lia Antero de Quental, acabei de o fazer.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  7. Um Beijinho Grande Amiga!

    ResponderEliminar
  8. um poema inesquevível, que escolheste com o bom gosto habitual..
    beijos

    ResponderEliminar
  9. Há tanto tempo que não lia Antero de Quental! Foi um gostoso reencontro.
    Beijinhos e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  10. Olá este poema é fantástico e eu não o conhecia, adorei. Beijinhos e Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  11. gostei de reler este poema!
    belissima ilustração!

    deixo te um beijinho e votos de um bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  12. Todos os dias visito o teu blog, gosto muito das poesias que colocas, estou a adorar o teu blog, muitos beijinhos e um bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  13. Os fractais ficam sempre bem... :-)

    ResponderEliminar
  14. Poema e imagem a condizer na perfeição!
    Muito bonito.
    Bjs

    ResponderEliminar
  15. (...) Pois sou quem anda chorando
    À procura dum irmão...(...)
    Linda a escolha e como sempre tens uma percepção de ligação imagem/poema, que é invulgar.
    Beijo

    ResponderEliminar
  16. Boa tarde. Também escrevi um texto no meu cantinho. Um beijinho.

    ResponderEliminar
  17. Poesia magistral, a que pões, redescobrindo o caminho dos nossos poetas. Beijos.

    ResponderEliminar
  18. Antero é fascinante: poeta, filósofo, polemista, ensaista, político, ... E este poema é fantástico, boa escolha!
    Bj

    ResponderEliminar
  19. um bom domingo para ti

    e continuo a achar belo o Antero de Quental, a imagem diz tanto com o poema dele

    beijinhos muitos

    ResponderEliminar
  20. Olá só queria fazer uma critica !
    Nós estudantes precisamos de textos ! Esse é um belo site mas com essa frescura de bloquear ¬¬
    flws

    ResponderEliminar

Caros visitantes e comentadores:

Obrigada pela visita... é importante para cada um dos autores da poesia constante deste blogue que possas levar um pouco deles e deixar um pouco de ti… e nada melhor que as tuas palavras para que eles possam reflectir no significado que as suas palavras deixaram em ti.

E porque esta é uma página que se pretende que seja de Ti para TODOS e vice-versa, não serão permitidos comentários insidiosos ou pouco respeitadores daquilo que aqui se escreve.

Cada um tem direito ao respeito e à dignidade que as suas palavras merecem. Goste-se ou não se goste, o autor tem direito ao respeito da partilha que oferece.

Todos os comentários usurpadores da dignidade dos seus autores são de imediato apagados.

Não são permitidos comentários anónimos.
Cumprimentos,