domingo, maio 13, 2007

ao cabo do tempo



A barca já não tem porto
e os dias não consolam as noites
do pescador.
O tempo esqueceu-lhe as arribas,
as praias, os ventos
e também roubou o bailado às marés.
Dos rumos nunca achou sentido:
era preciso ir além de mais além descobrir.
Por isso cuidou que navegar
queria dizer para sempre.
...
Fez das velas o tecido dos sonhos,
mas porque viajou demais,
tornou-se estrangeiro de si mesmo.

(Poema e fotografia de Tinta Permanente- Folhas da Gaveta)

11 comentários:

Anónimo disse...

o tempo que nos é roubado em viagem sem retorno! uma foto quase irreal. muito bela!
é sempre tão agradável aqui estar, a musica é excelente. gostei muito!!!
bjosssssss

Cleopatra disse...

Uma foto que me leva a escrever:

Não me Morras.

Não me morras
sem que te ame
da forma a que tens direito.

Não me morras
sem respirares os meus sussuros
sem partilhares comigo
o teu leito

Não me morras
Não te vás
sem que os meus lábios
te digam do meu ser
E os meus dedos te falem do teu sentir.

Não partas
Sem viver através de mim
O que nunca te disseram
E nunca soubeste ouvir.

Há no Sol
Na névoa
Na luz da manhã
Um pôr do Sol
Que é uma promessa de amanhã

Não me morras Amor
que não mereço.

Cleopatra

Cleopatra disse...

Vale outra cunha?
Ena!!

Teresa Durães disse...

gostei bastante!

Samantar Mohi disse...

Mas que poema mais belo...

Paula Raposo disse...

Lindo poema!

Vera disse...

Mais uma belíssima escolha!
O poema é lindo e tocante!

"Fez das velas o tecido dos sonhos"

Beijinhos

Thiago Forrest Gump disse...

Poema para ler e depois pensar...

herético disse...

e nunca navegar à bolina...

gostei muito do balacear deste barco...

João disse...

Como vim aqui parar?
Não sei doeu-me de tanto gostar tornar a ouvir
Esse mar que dentro de mim me desafia e nunca encontro e vou morrendo
sem barca sem mar e sem ti

TINTA PERMANENTE disse...

Os meus agradecimentos, amiga, por esta referência pessoal. Agradecimentos que, me seja permitido, estendo a todos os que aqui ou no Folhas da Gaveta me dão o prazer da Amizade.
Abraços!