terça-feira, maio 15, 2007

Não me Morras

Este poema deixado num comentário pela Cleopatra foi inspirado na fotografia do post anterior e de autoria do Tinta Permanente ...


Fotografia de Susanne



Não me morras
sem que te ame da forma a que tens direito.
Não me morras
sem respirares os meus sussurros
sem partilhares comigo
o teu leito

Não me morras
Não te vás
sem que os meus lábios te digam do meu ser
E os meus dedos te falem do teu sentir.

Não partas
Sem viver através de mim
O que nunca te disseram
E nunca soubeste ouvir.
Há no Sol
Na névoa
Na luz da manhã
Um pôr do Sol
Que é uma promessa de amanhã

Não me morras Amor
que não mereço.

(Poema da Cleopatra)

14 comentários:

TINTA PERMANENTE disse...

Este (belo) poema fez-me lembrar uma canção do Adriano Correia de Oliveira. Nunca um amor merece que não haja a promessa de amanhã...
Abraço!

Cleopatra disse...

Venho agradecer.
Eu estava a brincar.
Fico , claro, muito contente por terem gostado do que escrevi e o terem manifestado desta maneira.
è um honra figurar neste Blog.
Obrigada pelas palavras.

Anónimo disse...

Excelente! Tens uma sensibilidade para encontrar poesia encantadora. Parabéns a ambas: à autora e a ti.
AH

Cleopatra disse...

Não encontro a poesia... os poetas não encontram a poesia..

Ela e eles são um só!
E nem sempre se encontram.

Cleopatra disse...

É como a sensibilidade deste Blog.
Ou se gosta...ou não se sente.

Anónimo disse...

isto está complicado

Isabel-F. disse...

uma maravilha

parabéns pela escolha...

parabéns à autora

bjs

joão oliveira disse...

ola poesia
temos que amar e amar e continuar a amar e só depois muito depois, talvez morrer
beijinhos

Anónimo disse...

É de facto muito bom...Não me Morras...bonito!
Beijinho

A SUlista

maresia_mar disse...

Olá
é notória a alma que tens, a tua sensibilidade para encontrares e escolheres a poesia.. este é, como sempre. belissimo.
Bjhs e boa semana

Paula Raposo disse...

Adorei o poema! Adorei a foto! Beijinhos.

Anónimo disse...

www.luso-poemas.net

visite-nos..vai adorar!!

Teresa Durães disse...

gostei do poema

boa tarde

patriciar disse...

adorei! a sensibilidade retratada na escrita. mt lindo! continue