sexta-feira, fevereiro 22, 2008

Nevoeiro


Imagem daqui


Há quanto tempo
não escorrem lágrimas
e riem as pedras
no longo caminho percorrido?

Há quanto tempo
não choram as calçadas
e gritam inanimadas
as flores do jardim aqui?

Já me esqueci.

Foi há tanto tempo
que me perdi por aí,
sem lágrimas, sem risos,
sem gritos e só
no frio nevoeiro de ti.

(Poema de
Paula Raposo)

14 comentários:

Paula Raposo disse...

Fico-te imensamente agradecida, como já te disse, por email, por ler mais uma vez um poema meu (quem diria que o escrevi??!!)aqui, nestas tuas escolhas maravilhosas. A fotografia e a música enquadram-se na perfeição, Otília! Milhões de obrigada por não te esqueceres de mim e do que eu vou escrevendo...muitos beijos.

wind disse...

Triste, mas bonito.
Beijos

António Melenas disse...

Olá Paula,
"Nem parece que o escrevi"?!!!
Como se tu não tenhas escritos dúzias de poemas todos líndíssimos. Este é apenas um deles e que fecha com um verso admirável
Parabés para ti e Parabéns à Otília pela escolha. Só que pensei que o poema era acompanhado da sua leitura, mas é apenas de um fundo musical - aliás muito bonito
Um beijo de muita amizade

A. João Soares disse...

Bem me pareceu que o estilo era conhecido!! A Paula Raposo, minha amiga (virtual), mas muito especial.
Querida Sulista, já nos tínhamos encontrado como comentadores do ALGODRES, salvo erro.
Agradeço a visita e o comentário em Do Miradouro.
Abraço

Anónimo disse...

a poesia da Paula é sempre tão triste mas linda. Adoro a ler
Beijinhos
Paulo

cris disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amaral disse...

A poesia de Paula Raposo deixa sempre uma pergunta e uma dúvida.
E não existe num tempo, porque é de sempre...

© Piedade Araújo Sol disse...

Uma boa escolha.

A poesia da Paula Raposo é sempre muito bonita.

herético disse...

poesia da melhor. sempre. aqui...

beijos

Anónimo disse...

identifico-me kom a poesia da Paula é tão real
Lu

Maria Clarinda disse...

Paula...absolutamente sem palavras ....Jinhos mil

Graça Pires disse...

Um beijo para a Paula Raposo.

Luis Eme disse...

O cinzento também é lindo...

abraço

Isa&Luis disse...

Linda! linda poesia apesar da tristeza relevante...

Gostei muito.

Beijinhos

Isa