quinta-feira, maio 14, 2009

"Um por todos, TODOS por UM"

A propósito dos recentes acontecimentos que afectaram o Estúdio Raposa e que aqui são igualmente referenciados, as oportunas quadras da Azoriana de apoio ao repto lançado de "Um por todos, TODOS por UM", num apoio a Luís Gaspar, mereceram da parte da administradora do Poesia Portuguesa uma sensível atenção já que esta página dedica-se a todos aqueles que a sua criação, através das palavras, nos transporta a mundos poéticos.

Muitos têm sido os pedidos que, como se pode constatar, inclusive, nos comentários, de envio deste ou daquele poema por pessoas que, muitas vezes, até se mantêm nos comentários anónimas e que se servem de emails para os seus intentos.

Estando identificados todos os trabalhos aqui colocados com a indicação dos respectivos nomes e linkes dos autores é essa a resposta que dou sempre: “os pedidos deverão ser remetidos aos próprios autores que, se assim o entenderem, os remeterão.”

Cada um de nós é responsável. Todos somos responsáveis. Não poderemos ficar indiferentes porque o que hoje parece não nos afectar, amanhã poderá ser a nossa própria luta.


"Um por todos, TODOS por UM"



Imagem Google


Será que em alguma vez
Eu plagiei, sem querer?!
É a dança dos porquês
Que rondam o meu viver.

Se da rima me abeiro
Em constante explosão
É porque lhe sinto o cheiro
Que me rega a inspiração.

Mas de palavras sou fraca,
E de saber muito menos;
Não gosto de quem me ataca
Quando os erros são pequenos.

Se há plágio intencional
Deve ser denunciado
Porque o autor afinal
É que se sente lesado.

E quem por norma indica
A fonte e nome da obra
Bem consigo sempre fica
E nada então se cobra.

Mas quem deturpa o texto
E o valor cultural
É como roubar com cesto
Sem fundo intelectual.

Rosa Silva ("Azoriana")

21 comentários:

Azoriana disse...

Obrigada pela referência à minha criação derivada da leitura do artigo do blog "Menina Marota" que lança um alerta "Um por todos, TODOS por UM" e pela boa intenção da administradora de "Poesia Portuguesa" blog.
É sempre muito gratificante vermos que gostam do que produzimos e que os nomes e/ou alcunhas são mantidos tal e qual são apresentados nas criações pessoais. É assim que deve ser é assim que se deve fazer.

E por tudo o que se faz
A bem do que é natural
Que ninguém seja capaz
De plagiar o original.

Melhores saudações

Paula Raposo disse...

Solidária. Um poema bem interessante. Beijos.

ARTISTA MALDITO disse...

Olá

Venho prestar a minha solidariedade e acrescentar que infelizmente o plágio é uma forma ignóbil de projecção abusiva de quem é medíocre. Infelizmente, também, não há meios ou vontade concreta em punir os plagiadores.

Abraço
Isabel

Joana Vasconcelos disse...

o meu total apoio delirei com as quadras faz lembrar o antónio aleixo.
jinhos no teu coração da joana

Lumife disse...

Também solidário com a causa em questão.

Bjs

Kalaari disse...

Contem com a minha solidariedade em relação a este problema.
Mais grave ainda foi o que aconteceu comigo. Quando acabei de escrever a série juvenil ´´Os Primos´´, registei-os, como é obvio, na Socied.Port. de Autores. Meses depois, verifiquei que havia surgido um livro, cuja autora era filha duma editora muito conhecida no mercado, com um livro que seria o primeiro duma série intitulada ''Os Primos''.
Apesar do título do livro ser outro
que nada tinha a ver com os meus, seria o primeiro duma série que eu já tinha registado. Tendo reclamado junto da S.P.A., foi-me respondido que não havia lugar a reclamação, porque o que interessava era o título e não a série... Discutível, não é? Todos nós nos lembramos das séries juvenis da nossa juventude, ''Os cinco'', ''os sete'', ''as gémeas'',etc. Se tivesse sido seguido o mesmo critério, o que teria acontecido às mesmas?
Por tudo isto e muitos mais exemplos de que tenho conhecimento,
estou inteiramente ao vosso lado.
Um abraço
Vera Lucia

Jorge disse...

A máfia do sistema continua por este mundo fora, e em especial neste país onde já não se respeita propriedades e ideias dos outros. É uma debandada total e uma usurpação imoral da intelectualidade. Assim, cabe a cada um de nós optar por banir a pirataria, não consumindo precisamente arte plagiada, por muito mais barata que saia, mas com muito menos qualidade e acima de tudo sem a alma do autor. Jorge Cipriano

Porcelain Doll disse...

Não custa nada... pôr uma notinha no fim a dizer quem nos inspirou, se a inspiração não veio apenas de nós... assim deixa de ser um plágio e passa a ser uma homenagem... acho que nesses casos quando alguém se inspira noutra pessoa de forma honesta deve existir gratidão de parte a parte... é um fenómeno bonito, poético só por si, um texto de uma pessoa nascer do de outra... mas feito à sorrelfa transforma-se numa coisa mesquinha... é ser-se mal agradecido...

Beijinhos!!

Maria Clarinda disse...

Absolutamente de acordo e solidária!!!!Jhs mil

tecas disse...

Sem dúvida, absolutamente de acordo.
Falta de imaginação e falta de príncipios. Tenho lido muita coisa na net que reconheço de outros autores.Por vezes até em pequenas frases, reconheço ser da autoria de alguns poetas brasileiros que pertencem ao grupo Pax poesia encantada no Brasil na qual participo. è fácil de reconhecer. Cada autor tem o seu pendor referencial e quem está habituado a ler fácilmente reconheçe. É lamentável certas atitudes de quem se diz"poeta". Está visto querida que..."ser poeta não é ser mais alto".
Bji e " Um por todos e todos por um". Gostei do poema.Parabéns á autora e a ti por o publicares.

Márcio Beckman disse...

Interessante o site, reunindo os poetas portugueses e coagulando-os em um ponto. Apreciei bastante. Pena eu não ser português tb pra participar, mais apesar disso fico feliz de ter e estar conquistando cada vez mais a atenção dos leitores daí. Eu de português só tenho a escrita, mas sou msm do Brasil. Bom, parabéns e obrigado!

Márcio B. S. disse...

Interessante o site, reunindo os poetas portugueses e coagulando-os em um ponto. Apreciei bastante. Pena eu não ser português tb pra participar, mais apesar disso fico feliz de ter e estar conquistando cada vez mais a atenção dos leitores daí. Eu de português só tenho a escrita, mas sou msm do Brasil. Bom, parabéns e obrigado!

Angelo Morgado disse...

As pessoas não pensam, e acredito até que muitas delas não farão por mal, mas esquecem tambem que ao plagiar estao nao só a copiar um texto mas muitas vezes a roubar sentimentos a alma de quem escreveu!! É dessas forma que devemos pensar...

Odele Souza disse...

O plágio é algo desonesto e temos que repudiá-lo fortemente. É preciso exigir respeito aos direitos autorais, seja de um texto, uma foto, um desenho. É o nosso trabalho, se copiarem, que mencionem a fonte.NÃO ao Plágio.


um abraço

rouxinol de Bernardim disse...

boa esciolha. Há poesias bem interessantes que importa divulgar. Gostei.

lobices disse...

...actualizem o meu link de lobices.blogspot.com para:
http://quimnogueira.wordpress.com
...abraço

pin gente disse...

é frustante passar por isso.
"um por todos..."
beijo

Brancamar disse...

Que dizer mais que já não tenha sido dito?
É evidente que o plágio é de repudiar.
Jà tive que denunciar para um jornal bem conhecido que estavam a publicar na página do leitor um poema de José Carlos Ary dos Santos, com outro nome de autor. O Poema é sobejamente conhecido, não tanto como os que foram feitos para canções, é o Kyrie e é muito lindo. É incrível! O desmentido saiu na semana seguinte, mas curiosamente foi feito através da publicação integral do meu e-mail, sem me pedirem licença para pormenores que dei e sem uma única nota do jornal, nem sequer um pedido de desculpas, como se fazia noutros tempos, o que demonstra uma total incompetência e desresponsabilização de quem está à frente destas secções.
Beijinhos para ti.
Branca

João C. Santos disse...

o roubo da arte, o roubo!!

a quem servimos,

quem nos protege??

A frase:" não podemos fazer nada"

leva à loucura!!!

João C. Santos disse...

Olá,
permite-me que use o teu espaço para apresentar o meu primeiro livro, «Ausência de mim», editado no dia 24 de Abril pela EdiumEditores .
Obrigado.

Sylvia Weber disse...

Parabens pela ideia do Clube dos Poetas Vivos... que foi fundado publicamente em 2000 na Escola Secundaria Ibn Mucana, por mim. A ideia, tal como no filme, era para miudos nao publicados terem incentivo e oportunidade de mostrarem a sua arte. Foi um sucesso.