sábado, setembro 19, 2009

Que aprendi eu


Pintura:Yeda Arouche


Que aprendi eu
-
Aprendi tudo o que do nada se faz grande
-
Deixei cair ferramentas
aos saberes a mim os moldei
na helicoidade temporal em que se fundem
-
Declinei títulos e graus honoríficos
a burocracia que impera
e não deixa ver
-
Canto e não canto
toco e nada toco
sei e nada sei
choro o que deixei
-
Pouco ou nada sou
na papelada que esqueci
nem cito
o que não vi
-
Que serei eu no que aprendi
-
Sou
-
Sou o que se vê
e cresce
neste lugar
-
Sou
o que do nada eu escrevi
e escrevo
e canto
e toco envolto em manto
-
Sou ou não sou
dizei-me em vosso espanto
-
Se não sou
o que é que é isto

Poema de Jaime Latino Ferreira

16 comentários:

Jaime Latino Ferreira disse...

POESIA PORTUGUESA


Como Lhe poderei agradecer tão elequente gesto, este de me editar em Seu blogue ...!?

Fico-Lhe muito reconhecido e saiba que me poderá passar a ter como um dos seus leitores.

Poética silenciosa
que do silêncio faz a arte maviosa
saiba que emocionado
me contará a seu lado

Reconhecido, Seu


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 19 de Setembro de 2009

Jaime Latino Ferreira disse...

Elequente!?


Eloquente seu burro!!!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 19 de Setembro de 2009

Jaime Latino Ferreira disse...

POESIA PORTUGUESA


Desculpe-me e uma vez mais:

E que bela ilustração lhe deu, ao meu poema, por companhia ...

Bravo!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 19 de Setembro de 2009

Anónimo disse...

Feliz por teres, enfim, podido regressar.

Acompanhar-te-ei, como sempre.

CF

Zica Cabral disse...

gostei muito ........ Mesmo muito

© Piedade Araújo Sol disse...

PP

seja benvinda pelo seu regresso.

como sempre com um belissio poema de um autor que confesso não conhecia.

um beij

Texto-Al disse...

boa surpresas aqui;)

T.

Brancamar disse...

Querida amiga,

Como a blogosfera é pequena, apesar de imensa.
Eu que já conheço o Jaime há um bom tempo, não imaginava que um dia o ia ver pelas tuas páginas e todas elas tão bonitas.
Quanto ao poema do meu amigo fiquei deveras e agradávelmente surpreendida. Já lhe conheço a eloquência na prosa e também alguma poesia, mas esta é muito interesante nas interrogações existenciais que coloca.
Parabéns Jaime e parabéns à nossa MM pela escolha.
Beijinhos.
Branca

heretico disse...

saudo teu regresso.
gostei do poema.

beijo

Hélder disse...

Olá olá Otília!!
Já não faço a mínima ideia se tens recebido os meus emails... Gostava que ouvisses aquilo que te enviei. Diz qualquer coisa.
Bjs.

É bom ter-te de volta.
Bela forma de colocar questões que nos inquietam o Ser. Parabéns ao autor.

Vieira Calado disse...

Fiquei encantado como o canto...

Belo casamento!

Cumprimentos meus.

Graça Pires disse...

Jaime Latino Ferreira é um poeta, podemos dizê-lo em nosso espanto...
Um beijo MM.

Jaime Latino Ferreira disse...

AGRADECIMENTO


A Zita Cabral, Piedade Araújo, Texto-Al, Brancamar, Herético, Hélder, Vieira Calado e Graça Pires, reconhecido agradeço os elogios que me dirigem!

Estou-me a esquecer de alguém ...!?

Se o estiver, peço as minhas desculpas e, mais uma vez, reconhecido também pelo destaque que Poesia Portuguesa me concede.

Um fraterno abraço a todos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 24 de Setembro de 2009

▒▓█► JOTA ENE disse...

ººº
Bem-vindo ao regresso

Jonathan disse...

Gostei deste!!!

Jaime Latino Ferreira disse...

JONATHAN


Obrigado Jonathan!

Um Abraço


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 27 de Abril de 2010