sábado, agosto 10, 2013

A Poesia

Pintura de Francine Van Hover

 

A poesia diz, desdiz,
Elucida, confunde,
Escurece, ilumina,

Disfarça, é Verdade.

É uma cor de camaleão,
Nunca a mesma em qualquer ocasião,
É como o vento, lento, calmo, ou furacão
É dizer sim, quando quer dizer não

A poesia
Não é do poeta,
Nem de quem o lê,
É dela própria
Nem sei bem
Porquê!

A poesia
Não é flor,
Nem calor,
Nem emoção,
Nem Estação

A poesia são palavras arrumadas
Por semelhanças agrupadas,
Não tem alma nem Razão,
Para quem nunca soube
Cheirar o vento,
Tocar o céu,
Amar sem ver,
Sem tocar.

Só quem no dia vê estrelas
Ou na noite sente o sol,
Ou as lágrimas no papel pressente
Pode saber o que a Poesia é!

Assim, a Poesia não existe
Para quem não a lê!
É uma luz resplandecente
Para quem mesmo cego
A ouve, a sente, a vê!



Poema de Delfim Peixoto

7 comentários:

Delfim Peixoto disse...

Obrigado! Abraço.

Peter disse...

Não há como vê-lo
nesta noite sem luar —
estou deitada e desperta,
os seios ardendo em desejo
e o coração em chamas.

Ono No Komachi (834?-?)

Miguel Makaveli disse...

Simplesmente brilhante

© Piedade Araújo Sol disse...

a poesia é tudo o que quisermos que ela seja.

parabéns Delfim!

a imagem também é muito bonita.

:)

Mar Arável disse...

A poesia tem uma vantagem

não quer salvar o mundo

e por vezes respira por guelras

Efrem Miranda disse...

gostei bastante.
é bom que alguém trate da poesia como ela gosta de ser tratada.

João Roma disse...

muito bom!