segunda-feira, outubro 27, 2014

amor egoísta

Wâgnér C Bärbosá

Desafio-te a ficar esta noite
Comigo e o que resta de mim em ti

Para que eu fique a saborear quem era

Os olhos com que me vias
A boca com que me tocavas
E possa ser novo e amar-me egoisticamente
E ser somente anterior primavera
Fazer-me crescer e enraizar-me em ti

Como serpente

Aventureira hera
Que morre mas desenhou tudo aquilo que fica
Eternamente


in, Conversas num carro vazio

5 comentários:

fernando disse...

Belo Poema.

Sensual mas sem utilizar o Vocabulário Pornográfico. Que está muito em Moda.

É de lamentar, que o Grande Público não Visite – Poesia Portuguesa -!

Jc

Manuel Pintor disse...

Onde se (con)fundem a salvação e a perdição!

Graça Pires disse...

Um autor que não conhecia. Obrigada por partilhar.
Beijo, amiga.

F. Da Cruz Bombarda disse...

Se este poema for do vosso agrado vejam mais em http://carrovazio.blogspot.pt

SC disse...

Muito Bom.
Parabéns ao autor!

http://palavrasnaotemsono.blogspot.pt/