sábado, outubro 29, 2005

Da nova estação agora sei

Desta forma dou os Parabéns ao AQUI pelo seu primeiro Aniversário...



Sim, agora sei
que no deserto também nascem flores.

Árida paisagem em que pousaram
corpos sem sombra, e passaram
cegos seguiam na cegues da contenda de honrarias.

Agora pernoitam nos muros.

E no deserto crescem as flores que vou colhendo
para ti e para ti



Poema de Maria do Céu Costa - AQUI

24 comentários:

  1. Estou por demais emocionada com este gesto para poder dizer o que quer que seja. E por coincidência a música de fundo que hoje toca aqui juntamente é uma das minhas preferidas dos "Gregorian".
    Muito obrigada, Poesia Portuguesa. Muito obrigada!

    ResponderEliminar
  2. Uma boa escolha, gostei muito.
    beijinho

    ResponderEliminar
  3. Belo poema , muito bem ilustrado.
    É verdade, no deserto crescem flores, mas algo tem de ser feito para que tal aconteça...
    Reitero oa parabéns ao AQUI.
    Um beijo

    ResponderEliminar
  4. Tanta suavidade, doçura...tão bonito, parece tudo tão simples!! Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. mais parabens aqui, para ti, Aqui. Também mereces e muito, pela delicia que é vir aqui ler-te. Um beijo*

    ResponderEliminar
  6. Já lá deixei os meus parabéns. A poesia da Maria do Céu tem uma qualidade inquestionável.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Muito belo este poema da Maria do Céu que só recentemente conheci. E valeu a pena!
    Beijos. Bom domingo

    ResponderEliminar
  8. merecida homenagem à Maria do Céu e ao seu W. bjs de luz e paz

    ResponderEliminar
  9. A M.C.C. já nos habituou a poemas subtis e maravilhosos. No "deserto" também crescem sentimentos e emoções, aquilo que a alma compreende porque é a sua linguagem.

    ResponderEliminar
  10. { ...

    amantes (sem amor)

    sim, sempre foi assim,
    mas nem dei por isso,
    não como gostaria,
    nem tu, ali… estavas comigo
    em momentos únicos, pensei.
    mas tu, fria em terra seca
    em suave tristeza;

    sim, sempre foi assim,
    mas nem destes por isso,
    não como gostarias,
    nem eu, ali… estava contigo
    em momentos únicos, pensastes.
    mas eu frio em barro seco
    em silêncio moldava
    meu corpo no teu.

    © biquinha *in (rascunhos em papel rasgado)

    ... }

    ResponderEliminar
  11. Agradeço a visita a meu blog, o comentário deixado. E ao retribuir, deparei-me com algo de extremo bom gosto! Seu blog é lindo! Do layout, com cores claras, suaves, às poesias delicadas, lindas!
    Parabéns!

    ResponderEliminar
  12. já dei os parabens ao Aqui
    mas tu tb os mereces, aqui, pela tua ternura, suavidade e partilhaq fazes no teu blog
    jocas maradas

    ResponderEliminar
  13. nascem flores
    não importa
    se desertos
    ou mares
    nascem
    flores
    a mancheias
    nas dunas que o vento alisa
    ou nas palavras-versos da poetisa

    ResponderEliminar
  14. as flores, desde que bem cuidadas, nascem onde as deixarmos...
    ;-)
    beijo
    e parabéns à MCC

    ResponderEliminar
  15. Maria do Céu Costa, Amita, Lique, tudo pessoal "linkado".
    Estás seleccionando o melhor.

    ResponderEliminar
  16. parabéns também para ti por nos presenteares com um belo poema de
    Maria do Céu Costa
    gostei muito de o ler, as flores têm força, nascem em qualquer lugar, basta um pouco de amor para as regar,
    e parabéns ao AQUI pelo excelente blog que é

    beijinhos

    lena

    ResponderEliminar
  17. Uma excelente escolha. Bjinhos

    ResponderEliminar
  18. ler todo o blog, muito bom

    ResponderEliminar

Caros visitantes e comentadores:

Obrigada pela visita... é importante para cada um dos autores da poesia constante deste blogue que possas levar um pouco deles e deixar um pouco de ti… e nada melhor que as tuas palavras para que eles possam reflectir no significado que as suas palavras deixaram em ti.

E porque esta é uma página que se pretende que seja de Ti para TODOS e vice-versa, não serão permitidos comentários insidiosos ou pouco respeitadores daquilo que aqui se escreve.

Cada um tem direito ao respeito e à dignidade que as suas palavras merecem. Goste-se ou não se goste, o autor tem direito ao respeito da partilha que oferece.

Todos os comentários usurpadores da dignidade dos seus autores são de imediato apagados.

Não são permitidos comentários anónimos.
Cumprimentos,