quarta-feira, setembro 20, 2006

Devagarinho no Outono


Imagem Google


Acaba-se imperceptivelmente o fulgor do Verão
Vai-nos caindo sobre...
esta lassidão de Outono.
A luz já não é bem luz
mas uma pasta que se mistura com a Terra.
Dela se ergue uma bruma da sua cor,
diluída, esparsa.
O cheiro entra-nos na pele
absorve-nos
dispensa as narinas.
é acre
intenso
quase agressivo.
As estrelas baixaram no céu
teimosamente entre nós.
Ensombra-nos uma ténue cortina -
futuras nuvens
ainda medrosas de o serem.
O céu já não é a donzela
desconhecedora de vergonhas
descuidando-se brilhante no seu virginal fulgor.
É, agora, pudica menina
tentando encobrir a nudez
em indiscreta cortina translúcida.

(As fêmeas deveriam sempre aleitar nesta estação.
Então, os vagidos das crias sequiosas ou o ronronar da saciedade, soariam abafados docemente na penumbra, de manhã a manhã, como uma almofada de lã fofa e transparente e as crias, rolando dos leitos, vagueariam nesta maciez onde a gravidade quase se anula.)


Se Paz houvesse, ela seria proclamada em cada início de Outono!

(Poema da Seila)

24 comentários:

Sandra Cardoso disse...

É de arrepiar !!!
Música, imagem, e ...as palavras!!! Que conjugação!

É sempre tão bom cá vir!!
Parabéns pelo teu projecto.

Seila disse...

Minha querida que eu sorrir sorri, mas o que mais eu fiz foi suster a lágrima teimosa. onde foi a menina desencantar o que escrevi muitooooo antes dos blogues e nem sei onde publiquei?! dá-me o link sim? rsss

alter-ego disse...

linda! parabéns!

alter-ego disse...

linda! parabéns!

In Loko disse...

Davagarinho no Outono é como gosto de viver, respirar outros ares mais frescos e calcar folhas caídas, e gosto de ver as árvores quase nuas em mudança de roupas! Lindíssimo texto e a imagem não lhe fica atrás! Abraços

aaron@iol.pt disse...

Acertaste! O Outono está aí... com esta chuva que inunda tudo;lindissimo poema e uma imagem a condizer.
Beijinhos do aaron

José Gomes disse...

Minhas amigas MM e Seilá,
Acabo de vos roubar este belo poema.
Ia telefonar-te mas a Milú disse-me que não são horas que te deitas cedo.
Queria inseri-lo na contra capa do programa da próxima noite de poesia em Vermoim.
Se tu autorizares e a Seilá der o OK.
E seria muito giro tu vires a Vermoim e ler este belo poema.
Anmanhã, a horas decentes, telefono.
Um abraço para ti e outro para a Seila.

{{coral}} disse...

Poema recheado de cheiros...fez-me lembrar todos os caminhos com folhas amareladas que vamos pisando ao longo do Outono... a beleza do final de tarde!
Belissimo conjunto - poema/musica.

"O cheiro entra-nos na pele
absorve-nos
dispensa as narinas.
é acre
intenso
quase agressivo."

Obrigado pela vossa partilha

{{coral}}

Ana Sobral disse...

Como já ali disseram, um lindissimo poema com uma imagem de sonho. Até desejo que o Outono venha depressa!
Beijinhossss e bfs da Anita

wind disse...

Lindíssima poesia da Seila, a quem chamo Escritora, pois usa as palavras e os sentimentos de tal maneira, que quando damos por nós, estamos "mergulhados" nos seus escritos.
Bela escolha:)
beijos para as duas*

Diogo Ribeiro disse...

Poema intenso, que nos bebe por inteiro.

Abraço, bom fim de semana.

Anónimo disse...

E eu que não gosto do Outono, despertou-me um gostinho stranho ao ter lido tão bonitas palavras.
Para além disso a imagem é maravilhosa ,acompanha de forma magica o encanto das palavras..
Gostei...
Um beijo*

http://believe.blogs.sapo.pt/

Bia disse...

lindo, fez-me sentir os cheirinho do Outono, quase que ouço o barulho que fazemos ao caminhar nas ruas quando calcamos as folhas que estão a cair das árvores, deu-me saudades... gostei mesmo muito, além do mais Outono é o meu mês.
beijinhos e um sorriso de volta, pois este poema fez-me olhar sem ver e sorrir assim sem mais nem menos, trazendo-me boas lembranças.

Manel do Montado disse...

Como sou um “Outoneiro ou Outonense” convicto, adora todos e cad um dos momentos do Outono.
Excelente escolha (mais uma vez) e obrigado por proporcionares acesso a este espaço de qualidade.
Beijo

adesenhar disse...

vim confirmar a nossa sintonia outonal
e encontro aqui uma fantástica explosão de cor.

:-)

DE PROPOSITO disse...

'MODOS DE VER'. Pois é o Outono. O outono é o aproximar do Inverno, o fim de ciclo. E a nossa vida são quatro estações. Há muitos que não passam da Primavera.
Beijinhos
Manuel

DE PROPOSITO disse...

Quatro estações

Eu já fui primavera alegre e rescendente;
Em quimeras flori; vibrei hinos de amor;
Veio o estio depois, fecundo mas candente,
E o meu jardim então ficou sem uma flor.

Mas persistiu em mim aquela fonte oculta
Que mantém o frescor das verdes primaveras;
E, quando veio o outono, em ambição estulta
Quis de novo florir em sonhos e quimeras.

Triste ilusão porém! Insensato desejo!
Desse lindo jardim agora nada vejo,
Embora inda respire o seu perfume terno.

Hoje é tudo aridez; a própria luz é escassa;
Tomba neve do céu e o vento ruge e passa.
Tão cedo envelheci! Tão cedo veio o inverno!

Alberto de Aragão

Thiago Forrest Gump disse...

Imagem sublime!

O texto traduz tudo! Não só o Outono mas o que ele comporta na sua beleza particular.

É minha estação predileta! :)



Beijinho

Ana Luar disse...

Outono a minha segunda estação do ano favorita... Tudo é tão incrivelmente lindo no Outono... As paisagens são autênticas aguarelas... Apoesia sai solta como um folha ao vento...
Que lindo o meu mês de Outono!

A foto é de uma beleza extasiante.

De Amor e de Terra disse...

Embora eu tenha nascido ainda na Primavera, o Outono é e sempre foi a minha estação predilecta.

Então (mas não só por isso) amei este poema.

Parabéns às duas
e um beijo enorme da

Maria Mamede

nadja carvalho disse...

ola...
o blog é o supremo do Espanto ...
tem tudo que é necesserio para relaxar...
tem alma..e vida propria...
tudo nele encanta....
é maravilhoso...
e muito expressivo...
beijos de nadja carvalho

Laldom disse...

Dimais!!!
\o]

Sarah disse...

Sheila vc é muito boa mesmo
amei.
muita luz /|\ awen

Sarah disse...

Adorei este blog...