domingo, julho 01, 2007

Mais leves que o destino


Imagem de Lissa Hatcher



Regressámos a pé no sossego da água
mas deixámos na praia um rasto cúmplice
de vento longínquo
alguns sinais de algas
recados e um desejo de repartir sementes

Talvez por isso cheirem a maresia
os poros deste chão
e os nossos lábios soltem pássaros generosos

Talvez por isso tivéssemos regressado
pelas dunas inconsistentes
e finalmente nos descobríssemos
nus e criadores
a voar num império de areias

Hoje quase compreendemos
porque são as aves mais leves
que o seu destino

(Poema de
Eufrázio Filipe in Mar Arável)

8 comentários:

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

Passei por aqui e no meu rastro deixo um desejo e um beijo... boa semana.

herético disse...

grato ler Eufrásio Filipe. aqui. por tuas mãos. beijo

Yvone disse...

Achei este blogue quando pesquisava matéria sobre português. muito bom. musica muito suave e poesias e imagens muito bonitas.
Vos parabelizo
Yvone

Anónimo disse...

Olá minha Linda, bom dia!
Gostei muito deste Poema; não conheço o livro nem conhecia o Autor.
Descobres sempre muitas coisas belas, Amiga.
Parabéns aos dois e Obrigada pela partilha.

Beijoooosss

Maria Mamede

Mar Arável disse...

ainda bem que existes

Paula Raposo disse...

Delicioso poema! Leve, leve.

Anónimo disse...

Poema, imagem e a musica uma triologia fantástica. Parabéns a ambos os aitores. do poema e do blogue.

Maria Valadas disse...

Mais uma vez, os meus parabens à Poesia Portuguesa, por ter escolhido um poema ( dos muitos) que o nosso poeta Eufrázio tem!

Homenagem merecida!

Beijos a a ambos:

Mar Arável
e
Poesia Portuguesa