sexta-feira, outubro 01, 2021

OUTUBRO



Outubro a abrir brechas na memória

Pano de fundo de loucas paixões

A violar-nos por dentro

Metáfora, hipérbole, paradoxo

Folha arrancada a imaginário calendário

Este frio na alma a gritar solidão!

A chuva teima em cair

Pérolas de nácar escorrem te do rosto

Cobre a névoa teus passos

Que se afastam--------já não és

Corpos de pedra no jardim dos sentidos

Visto-me do silencio que não queremos quebrar

Partimo-nos por dentro

Desmontamos pedra a pedra a catedral do tempo

E eu num prenuncio de equinócio

Fico- me aqui a contar horas perdidas 


Desenho e Poema de Wanda Campos

4 comentários:

  1. Muito a propósito que estamos a 1 de Outubro. Amei o desenho e o poema escolhidos. Parabéns à autora.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Que poema lindíssimo de Wanda Campos neste "Outubro a abrir as brechas da memória" a partir-nos por dentro... Inspirador desenho a acompanhar.
    Tudo de bom para si minha Amiga.
    Um bom fim de semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  3. Hermoso poema. Gracias por las delicias que surgen...
    Saludos. 🙋‍♀️🌹

    ResponderEliminar

Caros visitantes e comentadores:

Obrigada pela visita... é importante para cada um dos autores da poesia constante deste blogue que possas levar um pouco deles e deixar um pouco de ti… e nada melhor que as tuas palavras para que eles possam reflectir no significado que as suas palavras deixaram em ti.

E porque esta é uma página que se pretende que seja de Ti para TODOS e vice-versa, não serão permitidos comentários insidiosos ou pouco respeitadores daquilo que aqui se escreve.

Cada um tem direito ao respeito e à dignidade que as suas palavras merecem. Goste-se ou não se goste, o autor tem direito ao respeito da partilha que oferece.

Todos os comentários usurpadores da dignidade dos seus autores são de imediato apagados.

Não são permitidos comentários anónimos.
Cumprimentos,